12/08/2015 - Consumidora será indenizada por barata em Coca-Cola

A Companhia Fluminense de Refrigerantes, fornecedora da Coca-Cola, vai indenizar uma consumidora que encontrou um inseto dentro da garrafa de refrigerante. A decisão é da 32ª câmara de Direito Privado do TJ/SP.

A autora narra que adquiriu duas garrafas de Coca-Cola no supermercado. Depois de se servir e beber, serviu a bebida ao filho, quando percebeu que algo caiu de dentro da garrafa junto com a bebida no segundo copo, e verificou que era uma barata. Afirmou que, por ter ingerido a bebida, ficou enojada e vomitou. Comunicou, então, o caso à fornecedora, que retirou o produto para exame.

Em 1ª instância a ação foi julgada improcedente, mas o TJ/SP reformou a sentença, por considerar que o "episódio vivenciado supera o mero aborrecimento ou contrariedade causando repugnância e potencial perigo à saúde".

O relator do recurso, desembargador Kioitsi Chicuta, concluiu que não é impossível um corpo estranho ser engarrafado junto ao produto e salientou que, de acordo com o CDC, a responsabilidade do fornecedor é objetiva.

"A periculosidade inerente ao produto nas condições encontradas (com barata) atua em desfavor da fornecedora e a segurança é uma das garantias dadas ao consumidor, bem como o ônus da prova decorre da lei e é da fornecedora, de que o defeito não existiu ou de culpa exclusiva do consumidor, sendo incontroversa a reclamação e entrega do produto."

Não tendo sido comprovada a culpa da consumidora, o desembargador deu provimento ao recurso, condenando a fornecedora de bebidas ao pagamento de R$ 5 mil, além das custas e honorários advocatícios fixados em 20% da condenação. O advogado Vinícius Peluso patrocinou a causa.

 

 

Do Migalhas

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário