12/09/2016 - Sargento que 'atrapalhou' show alega que segurança foi truculento

12/09/2016 - Sargento que 'atrapalhou' show alega que segurança foi truculento

Responsável pelo cancelamento do show da cantora Maria Rita, que iria ocorrer na noite de sábado (10), no Buffet Alphaville, em Cuiabá, o sargento C.N.,40 anos, se apresentou ao 10º Batalhão da Polícia Militar e justificou aos seu superiores que um dos seguranças foi agressivo no momento que pediu para que ele se retirasse do local.

Conforme o sargento narrou no boletim de ocorrência, ele havia ligado para o organizador do evento e informando que iria comprar os ingressos no local em que ocorreria a apresentação da cantora. Nesta hora, a banda da cantora estava realizando a passagem de som (produção que antecede o show), e o PM quis tirar umas fotografias quando um dos seguranças do local pediu para que se ele se retirasse porque era proibido realizar imagens da banda da cantora, caso contrário, seria levado a força para fora do ambiente.

Ambos teriam discutido e conforme  uma funcionaria do local, identificada por M.C.A.L, 55 anos, o sargento foi até o seu carro para pegar uma arma. 

O sargento passou por uma revista e nada foi encontrado. Ele informou que sua arma estaria em seu carro e então foi liberado e posteriormente apresentou-se ao 10º Batalhão.

A organização do evento estima que o prejuízo com o cancelamento do show chega a R$ 200 mil. A Agência MIC disse em sua página no Facebook que o sargento abordou de forma “agressiva e armado toda equipe da Produção Nacional e Local. O fato gerou insegurança à todos que, para garantir a integridade da artista e do público que viria, o show foi cancelado, já que o mesmo ameaçou que voltaria no horário do evento”.

Foram vendidos 2 mil ingressos. A produção anunciou que prepara uma nova data para apresentação do evento "Samba da Maria".

 

 

Fernanda Leite, repórter do GD

 
 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário