13/01/2015 - DELAÇÃO NO MPE: Em vídeo, Eder diz que Silval negociou mais de R$ 50 milhões

O ex-secretário de Estado de Fazenda, Eder Moraes, afirmou, em depoimento ao Ministério Público Estadual (MPE), que o volume de operações do Governo do Estado, na gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), ultrapassa os R$ 50 milhões. 

Segundo ele, as operações com a factoring do empresário Júnior Mendonça, epicentro da Operação Ararath, que investiga um esquema de lavagem de dinheiro público, “eram muito simples”. “Era muito facilitada a operação na factoring; era o fio do bigode da confiança estabelecida. O Júnior já operava com a Assembleia há anos. Não tinha contrato”, disse. Confira abaixo trecho do vídeo obtido com exclusividade pelo MidiaNews.

Aos promotores de Justiça do MPE, no ano passado, ele admitiu que assinou “muitas notas promissórias”, assim como o ex-governador Silval. “Muitas eu assinei. Se você quebrar o meu sigilo, você vai ver que o volume negociado ultrapassa os R$ 50 milhões”, disse.

Segundo ele, a factoring repassava o dinheiro em espécie, para não deixar rastro. “Soltava em dinheiro vivo, ou 50 cheques nominais à própria empresa, endossado por ele mesmo”, disse.

Dinheiro para prefeito

Eder Moraes, que foi detido pela Polícia Federal e cumpriu pena no Presídio da Papuda, em Brasília, em 2014, disse que “os recursos negociados em factoring tinham como origem a autorização do ex-governador Silval”.

Ele citou ainda operações envolvendo o prefeito de Sinop, Juarez Costa (PMDB), de R$ 700 mil, e a compra de vaga de conselheiro, no Tribunal de Contas do Estado (TCE). Eder disse ainda que o dinheiro, por vezes, era repassado aos poucos pela factoring. “A gente tolerava não receber de uma vez só, demorava 15 dias para receber o montante. Naquele dia só tinha R$ 100 mil, aí passa dia tal, que estamos juntando tanto. Tinha essa tolerância dos dois lados”, disse. 

Enquanto isso...

FLAGRA PAPARAZZI: Silval é fotografado em shopping nos EUA

O ex-governador Silval Barbosa (PMDB) foi fotografado nesta segunda-feira quando passeava num dos shoppings de Miami, nos Estados. As imagens obtidas com exclusividade pelo FOLHAMAX mostram Silval em frente uma loja de jóias acompanhando os preços.

De camiseta e bermuda, o ex-governador não efetuou nenhuma compra. Aliás, Silval tem afirmado que deixou R$ 850 milhões em caixa e cerca de R$ 4,5 bilhões em financiamentos para execução de obras para o governador Pedro Taques (PDT).

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
  

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário