13/01/2015 - Governo manda interromper serviços de recuperação em todas rodovias e pontes

Preocupado com indícios de irregularidades em projetos e obras, constatados antes mesmo de tomar posse, o governador Pedro Taques determinou paralisação de todos os serviços nas rodovias estaduais, como de pavimentação, de revitalização, de manutenção e até de supervisão. A medida afeta todas as regiões do Estado, inclui convênios e o programa MT Integrado e também construção e reconstrução de pontes de madeira. Com isso, a secretaria de Infraestrutura e Logística, sob Marcelo Duarte Monteiro, baixou ordem de paralisação. E só vai retomar as obras após reavaliação e até auditoria nos contratos, o que pode demorar mais de dois meses.

Com 122 rodovias, a malha rodoviária estadual chega a 30 mil km e, dessa extensão, apenas 6,2 mil km (menos de 20%) são pavimentados. Na prática, as MTs estão à mercê de investimentos em infraestrutura e suscetíveis a intempéries climáticas que abrem buracos e atoleiros, principalmente nesta época do ano, e prejudicam diretamente a vida das pessoas, além de comprometer o escoamento de grãos, principal atividade econômica do Estado.

Logo em sua primeira semana de mandato, o governador mandou interromper serviços de pavimentação, revitalização e supervisão em 11 rodovias. Uma delas é a MT-100 (Alto Araguaia-Ponte Branca), onde estavam atuando as empreiteiras Emsa e Equipav. A obra desse trecho faz parte do MT Integrado. Também foram suspensos obras nas MTs-326 (Nova Nazaré-Cocalinho), 343 (Porto Estrela-Barra do Bugres), 249 (São José do Rio Claro-Nova Mutum), 010 (Cuiabá-Rosário Oeste), 270 (Rondonópolis-Guiratinga), 423 (Cláudia-União do Sul), 336 (Barra do Garças ao distrito de Toricoeje), 170 (Juína-Brasnorte) e 235 (Campo Novo do Parecis-Sapezal). As empreiteiras contratadas para essas obras são, além da Emsa e Equipav, a H.L., a Destesa Terra, a Terraplenagem Centro-Oeste, a Paviservice, a Agritop e a Projecta.

Sem asfalto e pontes

Acatando recomendação do engenheiro Cleber de Oliveira, superintendente de Manutenção e Operação de Rodovias, o governador mandou interromper também os serviços de manutenção em rodovias sem asfalto, numa extensão de 1,1 mil km. Abrange 6 municípios: Cláudia, Colíder, Guarantã do Norte, Itauba, Marcelândia, Matupá, Santa Carmem e Sinop. Entram também na interrupção 30,2 km da MT-338, do entroncamento do distrito de Naboreiro, em Rondonópolis, à divisa com Poxoréu.

No caso de obras de reconstrução de pontes de madeira, foram interrompidas aquelas para execução na região Oeste, abrangendo São José dos Quatro Marcos, Mirassol D’Oeste, Lambari D’Oeste, Reserva do Cabaçal, Araputanga, Barra do Bugres e Porto Esperidião. O Estado interrompeu ainda serviços de reconstrução e reforma de pontes de madeira em quatro outros municípios: Marcelândia, Cláudia, Novo Mundo, Nova Canaã do Norte e no distrito de Colorado do Norte.

 

 

Escrito por Romilson Dourado-Rdnews

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário