13/01/2016 - Taques agradece deputados reunidos no recesso para votar projetos importantes para o Governo

13/01/2016 - Taques agradece deputados reunidos no recesso para votar projetos importantes para o Governo

O secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Zamar Taques, fez uma defesa e um agradecimento público aos deputados estaduais que decidiram interromper o recesso parlamentar para comparecer às sessões extraordinárias durante duas semanas de janeiro, na tarde desta terça-feira (12). Para ele, os parlamentares são criticados em todas as situações, inclusive quando se reúnem para trabalhar.

“Quando não trabalham eles são criticados. Quando trabalham são criticados. Quero agradecer aos deputados que interromperam seus recessos para votar essas matérias que são importantes sim para o cidadão mato-grossense”, disse o secretário na tribuna do Auditório Milton Figueiredo, durante a posse de dois deputados suplentes.

Ainda antes da cerimônia de posse, Paulo falou à imprensa sobre a gratidão do Executivo aos deputados.  “Queria fazer um registro publico do agradecimento do Poder Executivo, do Governo do Estado de Mato Grosso, do governador Pedro Taques ao Poder Legislativo que sensível a esses projetos de lei, reconhecendo a importância desses projetos de lei ao Estado de mato Grosso, para o cidadão, está aqui antes de acabar o recesso apreciando essas matérias”, agradeceu o secretário-chefe.

Os parlamentares se reúnem para votar 11 projetos de lei do Poder Executivo em urgência urgentíssima, além de um do Ministério Público Estadual e outro do Poder Judiciário. A convocação é para duas semanas, mas os parlamentares podem acelerar os trabalhos para terminar as votações nos primeiros cinco dias.

Entre as mensagens a serem apreciadas com maior urgência pelos deputados, estão o projeto que cria o Estatuto da Micro e Pequena Empresa, o que altera a Lei Orçamentária Anual (LOA) 2015 e o que trata da transformação do Centro de Processamento de Dados de Mato Grosso (Cepromat) em Empresa Mato-grossense de Tecnologia de Informação (MTI).

Na pauta, também contam quatro propostas voltadas para a modificar o financiamento dos projetos  da Secretaria de Estado Cultura e, também, medidas de fomento.

Sem extra

Os deputados estaduais concordaram abrir mão de um salário extra de R$ 25 mil que receberiam pelas duas semanas de trabalho. A decisão foi tomada em um colégio de líderes na tarde de terça-feira (12), por unanimidade, após uma série de reportagens sobre o assunto.

 

 

 

Da Reportagem Local - Jardel P. Arruda

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário