13/05/2011 - 13h:12 Suiá Missú: Casaldáliga critica demora das autoridades na solução de conflitos

Para o bispo, atitudes violentas são resultado de 500 anos de desrespeito aos direitos indígenas

 Defensor ferrenho das causas indígenas, o bispo emérito de São Félix do Araguaia, a 1.150 km de Cuiabá, região oeste de Mato Grosso, Dom Pedro critica a inércia do Governo Federal diante de conflitos como o que acontece há quase sessenta anos na área denominada Suiá Missú, município de Alto Boa Vista, vizinho a São Félix. “As autoridades demoram muito para apresentar soluções concretas”, disse o bispo hoje (13/05).

Segundo ele, quanto mais tempo a situação continuar no impasse, maiores as possibilidades de conflitos. “No caso de Suiá Missú, as terras já foram consideradas áreas indígenas há vários anos pelo Governo Federal, porém até hoje não foi feito nada, efetivamente, para retirar os fazendeiros do local e dar-lhes outros destinos”, declarou hoje.

Taxativo, Dom Pedro lembra que os indígenas têm “direitos anteriores” aos fazendeiros e que cabe às autoridades garantir-lhes este direito. Sobre a ação violenta de algumas nações indígenas, como aconteceu esta semana em Alto Boa Vista, onde índios Marãiwatsede expulsaram ocupantes da fazenda Velho Oeste, localizada em suas aterras, “é resultado de 500 anos de desrespeito àqueles que são os antecedentes genuínos do povo brasileiro”.

 

Ontem, pessoas que foram obrigadas a deixar a propriedade por cerca de 200 indios relataram os momentos de aflição vividos durante a ocupação repentina. Os homens teriam sido ameaçados e humilhados. Quatro veículos e um trator foram levados para a aldeia e pertences dos moradores abandonados à beira da estrada. O gerente da fazenda, Evaldo Duarte dos Santos, de 34 anos, relata que os indígenas chegaram pintados para guerra, armados com pedaços de pau e flechas, tomaram os telefones e passaram a ameaçar levar as pessoas que ali estavam para a aldeia. Ele, sua esposa Vera Lúcia Nascimento, 30, três filhos menores e o pai Valdivino Duarte, de 55 anos, estavam no local, além de vários vaqueiros.

 

Francisco Pereira da Silva tem 162 cabeças de gado na propriedade e é um dos mais indignados com a forma violenta utilizada pelos indígenas. “Fui amarrado e eles disseram que iam me castrar. Só fiquei ligado em Deus nessa hora. Só ele para nos livrar nesse momento”, conta, lembrando que os fazendeiros já apelaram para autoridades de todas as esferas na tentativa de resolver o impasse e evitar o conflito, sem sucesso. “Vamos partir pra cima deles, não vamos mais resistir”, avisou o fazendeiro

 

Tardio - Ontem (12/05) o Tribunal Regional Federal (TRF) determinou que os posseiros de Suiá Missú desocupem a área em 30 dias e entrou com um pedido de execução de sentença para que a Justiça Federal intime todos os ocupantes não-índios daquela terra a saírem do local.

A procuradora da República Marcia Brandão Zollinger baseia-se na decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF 1), de outubro de 2010, ocasião em que o TRF 1 negou recurso que tentava derrubar a decisão da primeira instância da Justiça Federal em Mato Grosso que determinou, em 2007, a saída dos posseiros. (com Vanessa Lima, de O Repórter do Araguaia)

Sandra Carvalho, de São Félix do Araguaia

Crédito fotos:

Bispo Dom Pedro Casaldáliga - Sandra Carvalho
Família do gerente da fazenda, Edvaldo Duarte - Deyve Alves

 

 

Comentários

Data: 14/07/2011

De: Gisely Moura

Assunto: Re:Re:Sejamos Justos!!! Conheçam a verdade.

Muito bom João Batista OTIMA proposta para o Ivo, sede você sua casa para os idios "IVO" ja que para eles BRANCOS não valem nada, talves você seje um desses que eles consideram ... "NADA".

Data: 14/07/2011

De: Gisely Moura

Assunto: Re:Re:Sejamos Justos!!! Conheçam a verdade.

Isso mesmo João Batista otima proposta para o IVO ... Vai dá sua casa para os idios ja

Data: 16/05/2011

De: Kalixto Guimaraes

Assunto: Casaldáliga Mente e Incita Indios à Violencia

CASALDÁLIGA MENTE E INCITA ÍNDIOS À VIOLÊNCIA
Kalixto Guimarães/ Correspondente do Araguaia

As declarações do bispo espanhol D. Pedro Casaldáliga, no site eletrônico, o-repórterdoaraguaia, são comprometedoras e revelam com clareza a dureza de sua alma terrorista e sanguinária. Casaldáliga, esquece que foram o seus conterranêos; Pizarro e Côrtez, que barbarizaram e destruiram grande parte dos índios sul-americanos, bem como, a florescente comunidade; Inca-Maia e Asteca.

O velho e maquiavélico Casaldáliga, fugitivo de seu país e ex-comungado pela própria doutrina da igreja católica romana, mesmo, tendo sido aposentado compulsóriamente pela Santa Sé e ainda, recebido vários corretivos da parte do ex-Papa João XXIII e de Bento XVI, continua comandando a prelázia de São Félix do Araguaia-MT, e o pior, destilando o seu ódio étnico em prol do separatismo e da quebra da unidade inter-racial da nação brasileira. O seu comentário sobre o ataque e a situação de conflito instalado entre os Xavante e os atuais proprietários da gleba Suiá-Missú, nos respectivos municípios matogrossense de; São Félix do Araguaia e Alto Boa Vista, dizendo que; "A reação dos índios é resultado dos 500 anos de desrepeito àqueles que são os antecedentes genuinos do povo brasileiro," reflete bem o pensamento revanchista e vingativo de sua falsa teologia. O seu posicionamento sobre a criação da polemica reserva indígena " maraiwatisede," tem sido bastante questionado uma vez que, enquanto a fazenda era propriedade da Agip Petroli, rolding italiana na qual, o Vaticano detinha ações, Casaldáliga, se fizera mudo! Difamava todos os latifundios do Araguaia e da amazônia, menos a fazenda do Papa, como era conhecida.
As torturas físicas e psicológicas que sofreram as vítimas da agressiva a ação do grupo indígena xavante, liderado e manipulado pela Funai e agentes do CIMI, Conselho Indigenista Missionário e mais uma colondria de ongueiros espertalhões, que vivem as custas da ingenuidade dos tais "selvícolas," e das questões ambientais, não foram lembradas pelo ex-bispo. Insistindo em sua mentira, avalizando os laudos antropológicos fraudulentos que foram montados pela Funai e esbanjando um falso saber sobre a história do Araguaia, Pedro Casaldáliga, emplaca na mídia, através da poderosa articulação que mantém na imprensa, a sua versão tendênciosa sobre os fatos que acontecerão e acontecem na região. O caso Suiá-Missú/Maraiwatsede, está na Justiça, há mais de vinte anos, os veredictos e sentenças contra o produtores são fatos juridicos absurdos e arbitrários que só servem para mostrar a força da grilagem oficial por parte da Funai, com beneplácito do MPF, em anular os direitos legalmente adquiridos de milhares de cidadãos brasileiros que vivem e trabalharam na área em litigio. Enfim, o que esse bispo do mal e alguns agentes da Funai, desejam e até forçam para que aconteça é mesmo a explosão de um conflito social, pois há muito, eles vem instigando a comunidade indígena para um "apartheid," por meio do avanço das práticas de violencia e de terror, contra a classe produtora brasileira.

Data: 13/05/2011

De: APROSUM

Assunto: Sejamos Justos!!! Conheçam a verdade.

Ora!! è muito fácil falar e apoiar da questão índigena no Brasil, ser a favor dos índios, já que eles são os primeiros habitantes do Brasil. São os donos de tudo isso ao nosso redor inclusive da sua casa, da casa de todos os brasilerios de todo território nacional. Pois bem,e quando essa invasão se torna ilegal, desumana, aterrorizadora, e violenta, assim como o referido bispo é a favor. O pior é que essa área não é índigena!!! Como seria essa área índigena? Sem vestígios Antropológicos constatados, sem nunca um índio Xavante ter pisado em terras da Suiá Missú seria essa área índijena de fato? Nunca foi comprovado e nunca será pois não o é!!! A sua casa , o seu quintal, a sua chácara, são dos índios e da FUNAI também. Você sabia disso? Pois saiba se eles quiserem invadir, se apropriar eles o fazem, sem escrúpulo algum, já que são manipulados como marionetes pela corrupta FUNAI, que manipula e frauda processos, escrevem inverdades, e insitam a violência com invasões ilegais e desumanas, destruindo famílias e conquistas da vida de todos esses legítimos proprietários. Para resolver a questão indíjena na Suiá Missú, não é com violência, como a FUNAI insita, que resolveremos essa situação. O conflito armado é coisa do passado e nenhuma gota de sangue será derramada, faremos tudo pelas vias legais com justiça e veracidade dos fatos, assim chegaremos ao consenso. Parem a FUNAI. Sejamos justos!!!!!!

Data: 19/05/2011

De: Ivo d'avila

Assunto: Re:Sejamos Justos!!! Conheçam a verdade.

Concordo, sem guerras, sem armas, sem violencia.
Mas se a terra não é dos indios, de quem é?

Data: 08/07/2011

De: João Batista Ramalho Neves

Assunto: Re:Re:Sejamos Justos!!! Conheçam a verdade.

Então meu amigo Ivo! Se a Terra Suiá Missú E do indio a sua Casa também é de a sua casa pra eles!!!.

Novo comentário