13/05/2011 - 09:52 Dois jornalistas são gravados e acabam presos por extorquir prefeito

 Dois jornalistas estão detidos na Delegacia de Brasnorte, desde a noite de quinta-feira (12), acusados de extorsão. Eles foram presos em flagrante quando recebia dinheiro do secretário de Finanças, Joaquim Alexandre de Oliveira, que acionou a Polícia Militar. Toda a ação foi gravada e o vídeo está nas mãos da delegada Cintia Cupido. 


Márcio Pin e Otávio Alves, responsáveis pelos jornais Tribuna do Estado e Vida Mídia, iniciaram a extorsão há cerca de um mês quando ligaram para o prefeito Mauro Rui Heisler alegando que teriam uma pesquisa positiva sobre o chefe do Executivo e queria visitar o município.

Em entrevista ao Olhar Direto, Joaquim Oliveira informou que os jornalistas visitaram o prefeito, mas não apresentaram nenhuma pesquisa, porém “rasgaram elogios”. Só que no final da conversa, acabaram propondo ao chefe do Executivo que divulgasse a cidade nos jornais de Pin e Alves. Heisler aceitou a proposta e realizou um contrato com as duas empresas. 

Passado mais alguns dias, os dois jornalistas retornaram à cidade e mais uma vez solicitaram que voltasse a divulgar o município e propuseram a realização de uma pesquisa. “Mais uma vez caímos na lorota deles e fizemos outro contrato, mas ai eles voltaram querendo instalar os jornais na cidade e propôs uma sociedade com o prefeito no valor de R$ 110 mil”, contou Joaquim. 

O prefeito não aceitou a proposta e alegou não ter dinheiro, os jornalistas então propuseram que usasse dinheiro da prefeitura e contaram ainda que outros gestores faziam a mesma coisa. Diante da recusa, eles continuaram insistindo e fazendo diversas propostas, até mesmo de um contrato com a administração municipal de R$ 8 mil mensal. 

Com a negativa de Heisler, os jornalistas começaram a fazer chantagens e ameaças dizendo que iriam denegrir o município e que tinham influência com parlamentares e com o governo do Estado. O secretário de Finanças levou o fato ao conhecimento do sargento da PM e marcou o ‘encontro’ com os donos dos jornais. 

A delegada irá ouvir os jornalistas na manhã desta sexta-feira (13) e depois devem ser liberados, mediante fiança. A pena é de reclusão de 4 a 10 anos e multa.

 

Da Redação - Alline Marques