13/06/2011 - 18h:00 MEIO AMBIENTE Dilmar busca convênio para a Cooperativa dos Trabalhadores de Reciclagem de Peixoto de Azevedo

 O descarte do lixo doméstico tem se tornado uma das grandes preocupações da sociedade moderna, que encontrou na reciclagem uma alternativa ecologicamente correta e socialmente justa, já que, segundo dados  do Movimento Nacional dos Catadores de Material Reciclável (MNCR) existem no Brasil entre 300 mil e 1 milhão de catadores em atividade.

         Em Mato Grosso não é diferente, prefeituras buscam recursos junto aos governos federal e estadual para implantação de  aterros sanitários e de programas que facilitem a reciclagem, a exemplo da coleta seletiva.

         Em busca de apoio, a Cooperativa dos Trabalhadores de Reciclagem de Peixoto de Azevedo procurou o deputado Dilmar Dal’Bosco (DEM)  para intermediar com o Governo do Estado, a reforma de sua sede.

         Para justificar o pedido, feito por meio de Indicação Parlamentar encaminhada ao secretário  de Estado das Cidades, Ernandy Maurício Baracat, Dal’Bosco argumentou que a cooperativa reúne dezenas de famílias carentes que antes não tinham opções de trabalho e viviam em condições degradantes para um ser humano.

         Cidade remanescente do garimpo, Peixoto de Azevedo ainda busca alternativas econômicas para sua população e encontrou na reciclagem uma maneira de conciliar o meio ambiente e a geração de emprego,  para famílias em situação de risco, o que torna imprescindível o apoio governamental”, defendeu o democrata.

                     Outro fator positivo implementado com a reforma da sede da cooperativa, segundo Dilmar, será o fortalecimento das atividades dos catadores, o que culminaria no afastamento dos  atravessadores, que se aproveitam da frágil estrutura organizacional desses trabalhadores  e abocanham 75% do faturamento gerado pela reciclagem, segundo dados do Instituto Polis. Os catadores, por sua vez, ficam com apenas 25% da receita (e com todo o trabalho pesado).  

         “Reciclar é transformar lixo  em produtos para o consumo. Esse processo, além de gerar riquezas, contribui para a diminuição significativa da poluição do solo, da água e do ar”, encerrou Dilmar. 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário