13/06/2015 - Dono de empresa investigada já foi alvo da PF em fraude de R$ 50 milhões na Funasa

O proprietário da empresa Sal Transportes e Turismo Ltda. e da WUE Táxi Aéreo Transporte e Turismo Ltda., Alexssandro Neves Botelho, já foi alvo da Polícia Federal na Operação Hygeia, que investigou fraudes de mais de R$ 50 milhões na Fundação Nacional de Saúde (Funasa). Porém, ele não chegou a ser denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) por falta de provas. Alexssandro é sobrinho do deputado estadual Eduardo Botelho (PSB).

Agora, as empresas Sal Transporte e WUE Táxi Aéreo são alvo do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), ligado ao Ministério Público Estadual (MPE), na Operação Overbooking, que investiga fraudes que ultrapassam R$ 8 milhões em contratos de transporte aéreo com o Governo de Mato Grosso entre 2013 e 2014, na gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB).

Em uma busca realizada no Diário Oficial, a reportagem do Olhar Direto encontrou diversos contratos firmados com as empresas de Alexssandro, entre eles um no valor de R$ 210 mil firmado entre a vice-governadoria e a Sal Transportes e Turismo Ltda., assinado pelo ex-vice-governador Chico Daltro (PSD) e por Alexssandro Neves Botelho, do dia 4 de junho de 2013.

Outro lado

A reportagem tentou entrar em contato com Alexssandro na loja da Sal Locadora, porém, o funcionário que atendeu o telefone disse que ele não se encontrava e que não sabia informar o contato do empresário. 

 

Olhar Direto

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário