13/09/2013 - Movimento Pro-Logística discute produção de grãos e condições da BR-158 no Pará

A caravana do Estradeiro Aprosoja da BR-158 chegou nesta quarta (11) ao estado do Pará. Santana do Araguaia, que está em uma região promissora na produção de grãos, foi a primeira cidade visitada. No município, os cerca de 20 integrantes do Estradeiro participaram de uma reunião com representantes do Sindicato Rural.

A opção logística que corta o município e que deveria ser o meio de escoamento da crescente produção agropecuária esbarra nas condições precárias de trafegabilidade. A BR-158 parece que parou no tempo e há quinze anos enfrenta problemas estruturais e de manutenção que emperram o desenvolvimento da região e crescimento econômico do país. Durante a reunião no Sindicato Rural de Santana do Araguaia, os produtores lembraram que além dos problemas para escoar a safra, a rodovia tem se tornado endereço de acidentes com vítimas fatais e assaltos, inclusive a carro forte.

 

De acordo com o presidente do Sindicato Rural do município, Edenilson Sebastião Bocchi, a rodovia, mesmo com condições limitadas, recebe um trânsito intenso. “Diariamente passam pela BR-158 cerca de 180 caminhões bitrem por dia. Esses veículos transportam grãos, calcário, carne industrializada, minério, entre outros”, revelou. O tráfego de veículos pequenos também é grande. São cerca de 350 carros de passeio que passam durante o dia, já que o percurso noturno, por conta da segurança, não é recomendado.

Durante a reunião, os produtores de Mato Grosso trocaram informações sobre as características da produção no estado em relação às práticas agrícolas no Pará. O produtor paraense Maurício Brandão está otimista com a produção de soja, e na safra passada plantou 600 hectares. “Este ano a cidade de Santana do Araguaia chegou a plantar cerca de 60 mil hectares de soja, esse número cresce a cada ano”, destacou.

De acordo com a secretária municipal de Agricultura, Franciele Brandão, o potencial da agricultura ainda tem muito para ser explorado. “Possuímos cerca de 1,2 mi hectares aptos à atividade agrícola. A altitude e a regularidade das chuvas nos motiva a ocupar essa áreas com grãos”, comemorou.

Após a reunião, a caravana do Estradeiro seguiu viagem para Redenção. Na sede do Sindicato Rural do município foi realizado um bate papo com produtores e lideranças políticas da região. A cidade possui atualmente cerca de 80 mil habitantes. A plantação de grãos também tem crescido na área de 3,8 mi de km² da cidade. O produtor rural Afif Jawabri falou entusiasmado sobre o potencial da região. “Estamos em um momento de crescimento, um verdadeiro pico de soja. Com isso, nossas terras também estão sendo valorizadas nos últimos anos. Temos muitas áreas de cerrado e pastagens degradadas para dar lugar aos grãos. Nossa terra é fértil e as chuvas são regulares”, comemorou.

A localização geográfica também é ponto positivo para a região do sudoeste do Pará. Além da proximidade dos portos, o calcário usado nas lavouras da cidade vem de Bandeirante-TO, distante 300 km. Especialistas da região afirmaram que em áreas de campo e cerrado a dosagem de calcário aplicada é de 3 a 4 toneladas por hectare, já em áreas que são convertidas para pastagens a quantidade necessária é de 1500 a 2 mil quilos por hectare.

 

Escrito por assessoria