13/09/2015 - Para enfrentar a crise, AMM recomenda que prefeitos reduzam o próprio salário

Para enfrentar a crise financeira que afeta o país, a Associação Mato-grossense dos Municípios, a AMM, está recomendando aos prefeitos uma série de medidas de austeridade, entre elas a redução dos salários dos próprios prefeitos e vices. A recomendação foi divulgada na última semana pela AMM.

De acordo com a AMM, a crise financeira que afeta o país e o cenário recessivo da economia brasileira estão gerando reflexos negativos nos municípios mato-grossenses. Houve queda na arrecadação, somente no primeiro repasse do FPM de setembro houve uma redução de mais de 30%, e com isso muitas prefeituras estão com dificuldades para quitar a folha de pagamento.

Estima-se que cerca de 40% estão pagando salários com a arrecadação do mês subsequente. Os municípios também enfrentam outros desafios, como obras paralisadas, subfinanciamento de programas e recursos insuficientes para investimentos.

Além da redução dos próprios salários e dos vices, a Associação está recomendando que os gestores municipais promovam o corte de gastos, que pode ser concretizado através das reduções do salário do prefeito e vice-prefeito, dos cargos comissionados, da remuneração dos cargos remanescentes, da jornada de trabalho nas prefeituras, exceto em áreas essenciais, dos recursos repassados para as câmaras municipais, da carga horária no Programa de Saúde da Família, do transporte escolar, além do corte de horas extras para servidores efetivos e a suspensão de ajuda financeira para entidades conveniadas, entre outras providências. 

A AMM destaca que o momento é delicado e é preciso cortar gastos para fechar as contas, sob pena de um iminente colapso financeiro, que poderá afetar ainda mais a população.

 

 

MT Via Rádio

Comentários

Data: 13/09/2015

De: Maria

Assunto: salário do Prefeito

Até parece que é o salário do Prefeito que quebra a Prefeitura. Não é nada disso. Quando o Prefeito recebe seu salário e outros benefícios legais não tem crise. O que atrapalha são as propinas e o dinheiro desviado de verbas para o bolso do Prefeito e não pode ser contabilizado, atrasando prestações de contas, deixando a Prefeitura inadimplente sem poder celebrar convênios com Estado e União.
Falar em reduzir salário de Prefeito é conversa afiada para tirar foco e enganar besta.

Novo comentário