13/10/2015 - Maggi diz que não há como voltar atrás em relação ao VLT

O senador Blairo Maggi (PR) defendeu que o governador Pedro Taques (PSDB) de continuidade as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), paralisadas desde dezembro do ano passado.

 

Na avaliação de Maggi, qualquer decisão, que não seja a de retomar a construção do modal, irá acarretar em prejuízos ainda maiores ao governo do Estado.

 

“Na forma como está, não tem como voltar atrás. Boa parte do investimento já foi feito, como a compra dos equipamentos, por exemplo. Se for devolver isso aí, terá pouco valor no mercado”, disse Maggi.

 

“Se não concluir a obra, acredito que o prejuízo será maior do que levar adiante e finalizar o projeto”, completou.

Maggi reiterou que, quando era governador do Estado, defendeu a realização do Bus Rapid Transport (BRT), por entender que essa obra atenderia as necessidades de Cuiabá.

 

“Enquanto eu estava no Governo, defendia o BRT. Na minha avaliação, a decisão política naquele momento, era no sentido de ter feito o BRT, que é uma obra mais simples, mais barata e que na minha avaliação, iria atender as necessidades da Capital”, disse.

 

“Antes da minha saída do Executivo, nós tínhamos, inclusive, financiamento aprovado para o BRT e que depois foi aproveitado no outro modal”, completou o senador.

 

Ele ainda lembrou que a mudança de modal partiu de uma decisão tomada por seu sucessor, o ex-governador Silval Barbosa (PMDB).

 

“Por último, veio a decisão tomada pelo governador Silval Barbosa e por aqueles que estavam envolvidos na obra para mudar esse modal. Hoje temos uma obra que não ficou pronta e lamento muito por isso. Pois essa era uma das principais obras da Copa, mas que acabou não se concretizando”, disse.

 

Parceria

 

O senador ainda avaliou que a realização de uma Parceria Público Privada talvez seja a melhor saída a ser encontrada pelo governador Pedro Taques (PSDB) para concluir a obra.

 

“Penso que é necessário o governador tentar buscar uma PPP. Não só para conclusão, como também para o uso no dia-a-dia”, disse.

 

Conclusão

 

O Governo do Estado afirma que, antes de retomar as obras do VLT, aguarda os resultados de uma consultoria especializada que irá detalhar, entre outros pontos, a viabilidade financeira do modal.

 

Também será possível saber, por meio deste estudo, a estimativa de demandas de operação durante os próximos 20 anos, a proposta de integração do modal à matriz de transporte coletivo urbano de Cuiabá e Várzea Grande, bem como o cronograma de desembolso do Estado para implantação do modal.

 

Os resultados dessa consultoria, segundo o vice-governador Carlos Fávaro, deverão ser conhecidos até o final deste ano.

 

 

 

 

Camila Ribeiro 

Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário