13/10/2015 - KPMG fará consultoria das obras do modal

A empresa KPMG Consultoria é a vencedora do processo de dispensa de licitação determinado pela Justiça Federal que fará a consultoria especializada da obra do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). O resultado do trâmite foi divulgado pelo secretário de Estado das Cidades (Secid), Eduardo Chiletto, na tarde desta sexta-feira (09.10). O processo segue agora para elaboração de contrato. A previsão é de que na próxima semana, a KPMG Consultoria assine os documentos da contratação.

 

As demais empresas que também participavam do certame (Accenture do Brasil e Cinclus Engineering Consultancy) foram inabilitadas devido a não apresentação adequada de documentos. O resultado do processo licitatório também foi encaminhado às empresas, nesta sexta, para o devido conhecimento.

 

A definição para contrato dos estudos especializados foi dada pela Justiça Federal, no dia 25 de agosto. Na mesma data, também foi determinada a suspensão do contrato 037/2012, enquanto os trabalhos de consultoria forem realizados. Para que o Estado realizasse a contratação da consultoria, 12 empresas foram convidadas a participar do trâmite licitatório. Deste total, três apresentaram propostas, que foram analisadas por comissão técnica formada por servidores da Secid, Controladoria Geral do Estado e Gabinete de Assuntos Estratégicos.

 

Para o titular da Secid, Eduardo Chiletto, a contratação da empresa irá contribuir para o que o Estado dê o andamento adequado à obra do VLT. “O trabalho de análise das propostas foi minucioso, conforme determinação do governador Pedro Taques. Os estudos que serão desenvolvidos pela empresa darão suporte ao Estado e o andamento da obra poderá ser dado com a devida qualidade e responsabilidade. Além disso, os órgãos de controle também poderão ser subsidiados em seus questionamentos”.

 

Conforme termo de referência, a empresa será responsável por apresentar relatórios detalhados ao Estado sobre a viabilidade financeira do modal, o cronograma de término de obras, a estimativa de demandas de operação durante os próximos 20 anos, proposta de integração do modal à matriz de transporte de Cuiabá e Várzea Grande, como também o cronograma de desembolso do Estado para implantação do VLT.

Histórico

 

O VLT deveria ter sido entregue em junho de 2014, antes mesmo do início dos jogos da Copa do Mundo em Cuiabá. Entretanto, os sucessivos atrasos levaram o governo a fazer um aditivo prevendo o término para 31 de dezembro do mesmo ano. Porém, as obras foram paralisadas antes mesmo deste prazo. A atual gestão estadual discute a questão na Justiça, visto que o consórcio construtor cobra, pelo menos, R$ 800 milhões para a finalização da obra.

 

O consórcio VLT Cuiabá venceu a licitação realizada em junho de 2012, na modalidade do Regime Diferenciado de Contratação (RDC), que não permite aditivos, por R$ 1,447 bilhão. Deste total, R$ 1,066 bilhão já foram pagos. 

 

 

 

 

 

 

Redação 24 Horas News

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário