13/11/2013 - Associação reclama de lentidão das obras e tenta recuperar as perdas

A Associação Comercial e Empresarial de Cuiabá, sob Jonas Alves de Souza, reclama que a lentidão das obras da Copa está sacrificando todos os empresários que possuem lojas nas proximidades dos canteiros, principalmente na avenida Miguel Sutil. “Isso é um problema sério. Temos insistido nisso com a Secopa, que precisa finalizar logo essas obras”, ponderou em entrevista.

 

  O dirigente empresarial ressalta que entende o lado do governo ao justificar que os transtornos são temporários, mas frisa que o temporário para os comerciantes é todo dia. “Todo dia os comércios perdem receita, todo dia chega conta de luz, água e telefone para pagar. Todo dia tem dificuldades para repor as mercadorias”, observa.

 

  Jonas conta uma situação que quase o fez desistir de consertar um eletrodoméstico. Ele conta que por causa dos tapumes que tem por todos os lados, teve que passar por cima de um canteiro para chegar até uma loja que presta este tipo de assistência técnica.

 

Além disso, revela que o setor só suporta a situação porque espera que as intervenções viárias projetem a Capital ao cenário nacional e mundial não só no agronegócio como é hoje, mas no setor turístico. Assim os comerciantes poderiam recuperar as perdas atuais.

 

Apesar dos problemas causados pelas obras, o presidente da Associação cita flexibilidade de diálogo do governo. Ele cita avanços em relação à carga tributária. Jonas também conta que ficou mais de um mês debatendo o assunto e conseguiu suspender um aumento imposto pela secretaria de Fazenda a 243 segmentos. “Foi um trabalho de convencimento. Mostramos que este não era o momento de onerar mais os tributos, porque o consumidor final não suporta pagar mais imposto. A gente sabe da necessidade do estado arrecadar mais diante do crescimento das demandas, mas temos que equilibrar isso para um nível aceitável”, concluiu.

 

Glaucia Colognesi

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário