13/11/2014 - Secretário de Dilma assume função na equipe de Taques

Ele deixou staff da presidente e irá cuidar das demandas do Agronegócio na transição governamental

 

O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Seneri Paludo, participou pela primeira vez, nesta segunda-feira (10), de uma reunião da equipe de transição com o governador eleito Pedro Taques (PDT).

Paludo, que pediu na semana passada exoneração do Ministério, é responsável pela parte econômica da transição, em especial as demandas do agronegócio.

“Ele é técnico na área e contribui para o processo de transição, participando dos estudos na parte econômica. A equipe está buscando uma metodologia de apresentação das demandas de cada secretaria, para apresentar o diagnostico. O objetivo é que não haja descontinuidade nas pastas”, disse a assessoria de Taques.

Seneri já negou em entrevista que a função na equipe de transição seja um “passaporte” para assumir uma das equipes de Taques. Segundo ele, o objetivo é voltar a setor privado.

“Não inclui nem fui sondado para isso. Essa possibilidade é zero. Fui convidado apenas para auxiliar na transição porque estou voltando para o estado. A minha intenção, sem dúvida nenhuma, é o setor privado. É de onde eu vim e de onde migrei. Qualquer tipo de convite (para a Secretaria de Agricultura) hoje é especulação”, disse em entrevista ao Globo Rural.

Seneri, que voltou para Cuiabá na última sexta-feira (07), é engenheiro agrônomo.

Ele estava na diretoria da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) antes de assumir a função, em abril deste ano, no lugar do atual ministro da Agricultura, Neri Geller (PMDB).

Transição
Até o momento, a equipe de transição já finalizou os estudos de demonstrativos das pastas: Saúde, Fazenda, Segurança, Educação, Planejamento, Meio Ambiente, Cidades e Infraestrutura. 

As próximas a terem os estudos finalizados são as secretarias de Cultura e Turismo.

Eles são coordenados pelo Prefeito licenciado de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT).

A partir do fechamento do relatório, um texto será produzido com as propostas de enxugamento da máquina administrativa e, em seguida, remetido para a Assembleia Legislativa colocar em votação. 

O governador eleito tem a expectativa de entregar o texto ao Legislativo até do dia 25 de novembro.

 

 

Douglas Trielli 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário