14/01/2012 - Ex-presidente da ALMT está entre as 3 vítimas de acidente com aeronave

 

O ex-presidente da Assembléia Legislativa de Mato Grosso deputado Antonio Amaral, parlamentar da Constituinte de 1988, é uma das três vítimas da aeronave que caiu na manhã deste sábado na região de Cáceres (220 km da capital).
 
Amaral ingressou na Assembléia Legislativa pelo antigo MDB (hoje PMDB) em 1987, e depois migrou para Partido da Reconstrução Nacional (PRN), na expectattiva de disputar o governo do Estado, e presidiu a mesa diretora entre 1989 e 1991, ou seja, exerceu apenas um mandato. 
 
Diante da frustação de seu projeto de disputar o Paiaguás, Antonio Amaral chegou a ter se nome cogitado para ser o candidato a vice-governador na chapa encabeçada pelo então prefeito de Várzea Grande, Jaime Campos (atualmente senador da República), que foi eleito facilmente governador de Mato Grosso em 1990 diante o caos político-administrativo deixado pelo PMDB, que alçou o poder mas eleieçõees gerais de 1986.
 
A despeito de seu projeto político, a gestão de Antonio Amaral foi marcada por muita polêmica em decorrência de um embate histórico com o Poder Executivo, comandado pelo PMDB (administração Carlos Bezerra-Edson de Freitas), por causa dos atrasos no repasses dos duodécimo e da mixórda política-administrativa. 
 
A gestão da dupla peemedebista terminou de forma melancólica, com cinco meses de salários atrasados e com o impeachment de Freitas, vítima de uma acidente vascular cerebral (AVC) enquanto pilotava um ultraleve na região da Chapada dos Guimarães.
 
Ex-braço direito de Amaral no setor da imprensa, o jornalista José Carlos Dias o primeiro a apoiar o ex-deputado e abrir espaço na então fechada imprensa de Mato Grosso, sobretudo nos jornais, ressalta que a gestão do ex-presidente da AL foi uma espécie de 'divisor de águas', pois foi um "estrangeiro" a assumir o comando do Legislativo e ser cotado para disputar o cargo de governador, numa carreira meteórica.
 
A primeira entrevista concedida por Amaral, na qual expôs seus projetos, recorda Dias, que foi secretário de Comunicação da gestão Blairo Maggi, foi para o Jornal do Dia, hoje já extinto. 
 
"Foi um momento histórico porque havia um bloqueio por parte dos jornais da capital. Foi um período histórico, com a eleição do (Fernando) Collor (ex-presidente da República). Muitas coisas melhoraram e outras melhoraram, mas bem ou mal foi um período importante para consolidar a democracia", avalia José Dias.
 
 
Da Redação - Marcos Coutinho
 
 
 
NOTA DE FALECIMENTO
 
Presidente da AL lamenta a morte de ex-deputado Amaral
 
A Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL/MT) lamenta a morte do ex-presidente da Casa, Antônio Carlos Lopes do Amaral, 60 anos, que faleceu nesta manhã (13/01), com a queda de uma aeronave, na região de Cáceres, 225 km de Cuiabá. Antônio Amaral atuou na AL como deputado do PMDB de 1987 a 1991 e foi presidente da instituição durante a promulgação da Constituição do Estado de Mato Grosso (1989 a 1991).
 
O presidente da AL, José Riva, afirma que Amaral teve participação importante nos trabalhos da constituinte e em sua promulgação. “Ele participou de forma singular durante todo o processo, com deputado e presidente da Casa, na intenção de construirmos a nossa legislação. Foi deputado de um mandato só, mas deixou sua marca na história. Foi com pesar que tomamos conhecimento da notícia e desejo que Deus conforte a família dele e das outras vítimas neste momento”.

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário