14/01/2015 - Eder chora ao pedir liberdade á juiz; assista vídeo

O ex- secretário de Fazenda e homem considerado de confiança dos últimos dois chefes de Governo do Estado, Blairo Maggi (PR) e Silval Barbosa (PMDB) , Eder Dias Moraes, chorou em um depoimento prestado ao juiz federal Jefferson Schneider, na Justiça Federal em Cuiabá. Veja vídeo aqui.

 

O ex-secretário de Fazenda, é um dos principais suspeitos de articular um esquema de lavagem de dinheiro e crime financeiro juntamente com empresário Gércio Marcelino Mendonça Júnior, o Júnior Mendonça, dono das empresas Globo Fomento Mercantil e Comercial Amazônia de Petróleo Ltda, também era operador do esquema, segundo a Polícia Federal. O processo é um dos que foram abertos na Justiça Federal por conta das investigações da operação Ararath.

 

Não há informações sobre a data precisa em que este depoimento foi dado. No entanto, Eder que foi preso no dia 20/05/2014, foi solto no mês dia 8 de agosto do mesmo ano, por determinação do Supremo Tribunal Federal – STF.

 

“Eu tenho residência fixa, a policia federal sabe onde moro, lá foi objeto de duas apreensões, em 2 minutos as pessoas falavam fui preso, sair da minha casa é uma dificuldade. Não estou colocando um deferimento, é pra vossa excelência amadurecer isso, domingo é dia dos pais”, Eder pauta a fala e começa a chorar.

 

“Eu, gostaria que vossa excelência me ouvisse numa condição , comprometido com a verdade , mas talvez fora deste contesto, da prisão , mas que avaliasse. Embora o senhor colocou ontem taxativamente que não referiria e não analisaria nenhum pedido hora que avançássemos, eu me comprometo , a estar no horário marcado em estar aqui , mas que o senhor avaliasse a minha liberdade”, Eder em continuação de depoimento.

 

Moraes pediu liberdade ao choro, por que o Dia dos Pais se aproximava e queria passar a data em casa.

 

Mas o juiz disse que não iria decidir em audiência para que não fosse alegado futuramente. “ Se os seus advogados, requererem vou ao MP, e vou decidir, agora o que vou lhe dizer , não vou decidir em audiência com justiça, aos argumentos dos advogados do senhor, que são advogados, de longa data, em oralmente nós somos mais breves, primeira argumentos em seu HB é a falta de argumentos em sua decisão, é normal, justiça...... vou abrir vista no MP e depois decidir... eu não analisei todos os documentos que o senhor entregou a Justiça Federal, e alguns coincidem com alguns..."

 

O magistrado disse que iria analisar o caso, após posicionamento do Ministério Público.

 

O juiz explicou que a  prisão dele é decorrente de contradições envolvendo membros do Ministério Público Estadual e o Gaeco.


Além de Éder Moraes, são réus no processo a esposa do ex-secretário, Laura Tereza da Costa Dias, o ex-secretário-adjunto do Tesouro estadual, Vivaldo Lopes, e o superintendente regional do Bic Banco, Luiz Carlos Cuzziol.

 

 

 

Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário