14/01/2016 - Delegada impede sepultamento de modelo que buscava beleza

14/01/2016 - Delegada impede sepultamento de modelo que buscava beleza

A morte de Raquel Santos, uma das finalistas do concurso Musa do Brasil, causou tristeza e revolta no marido da modelo, o empresárioGilberto de Azevedo. O rapaz conversou com a reportagem nesta terça-feira, 12, e contou que a mulher teve uma parada cardíaca após sofrer complicações em um procedimento estético de preenchimento no rosto.

"Ela estava na clínica do doutor Wagner Moraes (marido de Ângela Bismarchi) quando começou a sentir o coração acelerado e muita falta de ar. As enfermeiras disseram que os níveis dela estavam normais, mas ela estava roxa", afirmou ele, dizendo que levou 
Raquel
 para um hospital de Niterói 40 minutos depois: "Quando chegamos lá, ela teve uma parada cardíaca. Acredito que se ela estivesse em algum lugar adequado para fazer o procedimento estético, como um hospital, ela ainda estaria viva".

 

Segundo ele, esse não foi o primeiro procedimento estético feito por Raquel: "Ela estava doente com essa busca pela beleza. Já tinha colocado silicone, em 2014; feito nariz, queixo e bochechas em 2015; e na semana passada tinha feito um enxerto no bumbum. Além disso, ela tomava muitos remédios e fumava muito. Ela tomava remédio antes de malhar, para dormir... Acho que isso mais uma negligência do médico causaram a morte dela".

Mesmo com a declaração, ele afirma que não pretende processar Wagner: "A princípio não pretendo tomar nenhuma medida legal porque não vai trazê-la de volta. Vou conversar com a  família para saber o que eles querem".

Segundo ele, 
Raquel foi alertada sobre o perigo das cirurgias. "Eu nunca apoiei ela fazer essas plásticas. Sempre falei que ela estava doente e que não precisava. A mãe dela também falou muito. Ela era linda. Ela ia desfilar no carnaval e estava muito ansiosa com isso".

 

Wagner Moraes e �ngela Bismarchi (Foto: Divulga��o/Divulga��o)

Wagner Moraes se defende
Procurado pelo EGO para falar sobre as declarações de Gilberto, Wagner Moraes se defendeu e explicou o procedimento feito por Raquel.  "O que ela fez comigo foi um preenchimento de 'bigode chinês', uma coisa muito pequena, de dia a dia. Aplicamos 1ml de metacrilato em cada lado da boca, uma quantidade permitida. Nada como o que a Urach fez e causou o problema dela. Não houve complicação em relação ao procedimento, não teve nada a ver. Graças a Deus", afirma o médico, que nunca havia trabalhado com a modelo antes e não foi quem aplicou a mesma substância em suas nádegas, uma semana antes: "Só sei que foi em uma clínica da 
Barra, nada mais".

Segundo Wagner, o problema com 
Raquel
provavelmente ocorreu porque a modelo aplicava medicamentos por conta própria. No dia em que passou mal, ela havia feito uso de um aerosol contra asma.

"Quando ela chegou na minha clínica passando mal, estava com falta de ar e a gente encaminhou para o hospital. Mas ela fumava muito - de dois a três maços por dia - e já tinha dificuldade para respirar. O marido contou que ela havia aplicado um aerosol para asma antes. Além disso, há cerca de três meses, ela usava um esteróide de uso animal que injetava sozinha na coxa, diariamente. Ela não me relatou nada disso, só soube depois. Mas não que isso influenciasse em alguma coisa... O procedimento feito foi mínimo. Mas é aquilo, né? Essas coisas que o pessoal usa em academia não se chama bomba por acaso... Uma hora explode", lamentou.

 

 

Raquel Santos (Foto: Marcos Mello/ Divulga��o)

Enterro será realizado no fim da tarde desta terça, 12

A jovem de 28 anos, que é de Niterói, no Rio, mas representava Mato Grosso no Musa doBrasil, era casada e tinha dois filhos - de 13 e 8 anos. O velório de Raquel foi realizado na Capela 4 do cemitério Parque da Paz, em São Gonçalo, desde a manhã desta terça, 12.

O sepultamento ia acontecer às 18h só que às 16h uma delegada, que não teve o nome divulgado, impediu o enterro.  A polícia apresentou um documento para a retirada do corpo da capela sob alegação de que vai apurar um suposto erro no atestado de óbito.
 
 Raquel foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) para uma nova autópsia.


"Ela morria de medo de cirurgia"
Débora Azevedo, melhor amiga de Raquel, falou sobre a modelo pouco antes de chegar ao velório. Emocionada, ela disse que a finalista do Musa do Brasil foi vítima da vaidade. "Ela estava muito preocupada com a estética. Fazia tudo escondido das amigas para a gente não brigar porque não tinha necessidade. Ninguém está acreditando até agora", falou.

A consultora de vendas disse que esta não foi a primeira intervenção estética de Raquel e não soube dizer quantas plásticas a amiga já tinha feito. "Sei que ela já tinha operado o nariz e colocado silicone. Quando ela colocou silicone a acompanhei no hospital e não achei fora do normal porque hoje em dia é tão comum... Mais do que isso era loucura porque não precisava", comentou.

Apesar da vontade de Raquel em fazer operações estéticas, Débora diz que a modelo temia  os procedimentos. "Ela morria de medo de cirurgia, mas fazia mesmo assim tamanha a preocupação dela com a beleza. Além disso, fazia todos os tratamentos estéticos que existem como bronzeamento artificial, drenagem linfática. Era bem vaidosa. A alimentação era saudável, mas ela não fazia uma 
dieta exagerada. Malhar ela malhava religiosamente, malhava muito", contou.

 

 

 

 

Revista Ego

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário