14/02/2012 MP de São Félix do Araguaia realizou Audiência Pública , Diga não as Drogas”!

 

O aumento dos índices de jovens introduzindo-se no consumo de drogas é um fato que vem exigindo que a sociedade e os poderes públicos se manifestem, diante de tal situação, que só vem a prejudicar a vida de usuários. Dessa maneira, o Ministério público de São Félix do Araguaia não se omitiu diante da situação que se agrava a cada dia, e realizou uma audiência Pública no qual foi discutido o tema: “Diga não as Drogas”.

De acordo com a Promotora de Justiça Dra. Maria Coeli Pessoa de Lima o objetivo foi de debater sobre as políticas públicas de combate ao uso de drogas e os programas governamentais de redução de danos.

“Foi muito boa a participação popular na audiência pública, apesar do não comparecimento de autoridades municipais e estaduais a Audiência revelou o grau de interesse que tem o combate às drogas, no momento”, enfatizou a Promotora.

Audiência Pública realizada, como parte das ações de combate às drogas, reuniu dezenas de pessoas na cidade de São Félix do Araguaia – MT. A palestra foi realizada no anfiteatro do centro comunitário “Tia   Irene”.

Labé Kalariki Idjawaru  Karajá , um dos representantes indígenas, justificou que a luta é para que a juventude seja atendida em suas diversas necessidades e direitos. “Queremos o acesso ao emprego digno, educação e saúde pública de qualidade em todos os níveis. Queremos pleno acesso ao esporte, à diversão, à arte sem ter que pagar nada por isso”, Comentou.

Para Lenimar Werreria o problema das drogas tem sido uma grande preocupação das autoridades, diante do crescente número de usuários, principalmente do álcool  o que tem levados muitas famílias aos sofrimentos e a morte de muitos jovens.

Durante a audiência Idjahina Karajá, um dos líderes indígenas, externou o seu apoio ao movimento. “Parabéns aos jovens pela mobilização. É preciso ainda sensibilizar toda a sociedade para aderir a esta luta e exigir que os poderes públicos cumpram a sua obrigação de oferecer políticas públicas de atendimento”, destacou Idjahina.

João Werreria coordenador da FUNAI falou da preocupação com o seu povo: “Por isso estamos aqui cobrando os nossos direitos. Não queremos mais viver de promessas. Precisamos de ação efetiva de todos para que nossa gente possa encaminhar os seus filhos um futuro   melhor.

 

O objetivo da Audiência Pública com Tema “DIGA NÃO ÀS DROGAS” foi buscar novas estratégias de combate ao consumo de entorpecentes, visando também a ressocialização de dependentes químicos.

 

Fonte: Vanessa Lima/O Repórter do Araguaia

Comentários

Data: 15/02/2012

De: jaci kaniela

Assunto: proibir

por ser india fico muito triste com o que ouso falar do povo indiginas tudo de mal que acontece sao os indios que faz, porque cada um nao asume seus proprios erros ,se se eles bebem e porque tem pessoa irresponsaveis que vende pras eles nao e ? vaomos acaba com isso colocando esses irresponsaveis na cadeia ,cadeia neles

Data: 14/02/2012

De: Marcos Miranda

Assunto: Combate as drogas

Parabéns ao MP e a Dr.ª Maria Coeli pela iniciativa. A forma de atuar participando e tentando solucionar problemas sociais é uma marca desta representante do Ministério Público, que além de mostrar a sua eficiência profissional,mostra também a riqueza do seu lado humano.

Data: 14/02/2012

De: anonimo

Assunto: drogas

A venda indiscriminada de bebidas alcóolicas e outras drogas ilicitas vem aumentando gradativamente dentro das comunidades indiginas e até mesmo aos não índios, seria bom se nossas autoridades pensassem em uma medida que coibisse estas práticas, pois somos pais preocupados com filhos adolescentes que estão ai sendo influencados por pessoas inescrupulosas que ao invés de propor qualidadede de vida , destroem sem dó nem piedade nossas famílias...

Data: 14/02/2012

De: zezinho

Assunto: droga

Já que o povo de são Félix do Araguaia não tá nem ai para o povo indígena , refletisse mas e não vendesse pinga, pare esse povo tão maravilhoso que estão acabando com a Cultura desse jovem , a responsabilidade e nossa . pense

Novo comentário