14/03/2012 - Alunos caminham 4 km e ficam 1h em ônibus para chegar a escola em MT

 

Pais afirmam que os filhos não conseguem se concentrar para estudar.
Prefeitura disse que tem buscado recursos federais para melhorar estrada.
 
Cerca de 200 estudantes do Assentamento Cabaças caminham mais de quatro quilômetros diariamente para chegar até a Escola Municipal São Benedito, que fica na cidade de Barra dos Bugres, a 169 km de Cuiabá. Elas fazem o percurso a pé porque a estrada de chão está sem condições de uso, impedindo o tráfego do ônibus escolar. (Assista ao lado o vídeo que mostra o caminho percorrido pelos alunos).
 
Os estudantes, que têm entre 5 e 16 anos, percorrem mais de uma hora a pé para conseguir chegar até ao local onde fica estacionado o ônibus escolar. Em seguida, eles ficam mais uma hora dentro do veículo até chegar a escola. A dona de casa, Lucineide Cristina Ramos, relatou que os filhos sofrem diariamente para conseguir estudar. “Meus filhos chegam na escola cansados depois de caminhar quatro horas a pé e de baixo do sol quente. É um sacrifício muito grande”, desabafou.
 
O percurso foi aberto no meio da floresta e o mato invade a estrada deixando o caminho muito perigoso para os alunos. Os pais reclamam que o sol escaldante deixa os alunos desidratados e debilitados ao longo da jornada. Mas quando vem a chuva, a situação não melhora muito. Isso porque o trecho fica intrafegável até mesmo para motos. Deste modo, os alunos acabam faltando as aulas durante o período de chuva.
O assentado Antônio Silva Santos reclama que os seus filhos chegam sujos e sem condições de prestar atenção às aulas. “É uma dificuldade muito grande. Às vezes temos de trocar as roupas dos meninos para que eles não cheguem sujos de lama na escola. Alguém tem que mudar essa situação e fazer alguma coisa por nossa gente”, salientou o assentado.
 
O prefeito de Barra do Bugres, Wilson Francelino ( PDT), justificou que o município tem tido dificuldades para conseguir orçamento para investir na região e que os recursos próprios são escassos. “Nos buscamos recursos através do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária). Algo que fosse permanente e fomos atrás de um convênio para que pudéssemos estar licitando e arrumar as estradas em definitivo. Por coincidência, saiu a segunda licitação para podermos executar as obras nas estradas”, relatou o gestor municipal.
Já quanto a Escola São Benedito, o prefeito alegou que existe um projeto protocolado no Ministério da Educação (MEC) para construir novas escolas na região. “Não está faltando nenhum documento e já foi aprovado o projeto. Só falta liberarem os recursos”, comentou. Enquanto os recursos federais não chegam, o prefeito prometeu fazer uma reforma paliativa na Escola São Benedito e deixar as salas de aulas em boas condições para os alunos estudarem.
 
Do G1 MT com informações da TV Centro América

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário