13/03/2016 - Manifestações a favor de Dilma são registradas em 25 estados e no DF

13/03/2016 - Manifestações a favor de Dilma são registradas em 25 estados e no DF

 

Manifestações contra o impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff (PT), aconteceram nesta quarta-feira (16) em ao menos 42 cidades de 25 estados do país e no Distrito Federal. A estimativa do total de manifestantes no Brasil foi de 98 mil pela Polícia Militar e 292 mil pelos organizadores (os números da PM foram alterados após novos dados de São Paulo). Os protestos ocorreram três dias depois de manifestações contra a presidente da República acontecerem no país.

 

Os atos desta quarta-feira tiveram adesões maiores em relação aos de 20 de agosto, data das manifestações anteriores a favor de Dilma, quando foram estimadas 73 mil pessoas pela polícia e 190 mil por organizadores. 

 

As manifestações foram pacíficas, com poucos incidentes isolados em algumas cidades. Grande parte dos manifestantes vestia vermelho e levava cartazes contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), contra a corrupção e pelo fim do ajuste fiscal.



Alterações de números em São Paulo


A Polícia Militar de São Paulo divulgou na quinta-feira (17) novo número de participantes do ato contra o impeachment da presidente Dilma, ocorrido na quarta, na Avenida Paulista: 50 mil pessoas.

 

No dia do protesto, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) havia informado que 3 mil participaram do protesto. A PM disse que apenas a secretaria divulgaria dados sobre participantes. Este número era muito inferior aos levantados por outros órgãos: o Instituto Datafolha contabilizou 55 mil; o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), 70 mil; a União Nacional dos Estudantes (UNE), 75 mil; e a Central Única dos Trabalhadores (CUT), 100 mil.

 

Veja resumos dos atos nas principais cidades e clique nos nomes para saber mais:

 

ACRE
Rio Branco - mesmo com a ameaça de chuva, manifestantes foram às ruas de Rio Branco, nesta quarta para protestar contra a ameaça de impeachment.

Manifestantes se reúnem no Centro de Rio Branco contra o impeachment da presidente Dilma Roussef (PT-AC) (Foto: Caio Fulgêncio/G1)

 

De acordo com a organização e com a Polícia Militar, cerca de 5 mil pessoas participaram do protesto.

 

ALAGOAS
Maceió - movimentos sociais, sindicais e estudantis participaram do ato. A mobilização, que começou por volta das 9h, terminou ao meio-dia.

Caminhada pró-Dilma bloqueou parte do trânsito em direção ao centro de Maceió (Foto: Lucas Leite/G1)

 

De acordo com a presidente da CUT-AL, Rilda Alves, cerca de 5 mil manifestantes participam da manifestação. A Polícia Militar informou que não tem estimativa.

 

AMAPÁ
Macapá - ato contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff reúne na Praça da Bandeira, no Centro de Macapá, cerca de 300 pessoas, segundo a Central Única dos Trabalhadores (CUT) no estado, um dos organizadores do ato.Não há policiais no local. O movimento começou por volta das 16h.

Amapaenses fazem ato contra o  impeachment da presidente Dilma (Foto: Abinoan Santiago/G1)

 

AMAZONAS
Manaus- manifestantes realizaram no fim da tarde, no Centro, um ato a favor da presidente Dilma e contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. O protesto foi organizado por dezenas de organizações sindicais.

Ato iniciou na Avenida Getúlio Vargas (Foto: Divulgação/ Manaustrans )

 

A Policia Militar (PM-AM) informou que cerca de 1 mil pessoas participaram do ato. Os organizadores divulgaram aproximadamente 2 mil pessoas.

 

BAHIA
Salvador - manifestantes favoráveis ao governo Dilma se reuniram em Salvador na tarde desta quarta. O protesto foi organizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Manifestação pró-Dilma em Salvador (Foto: Maiana Belo/G1)

 

Ao término do protesto, por volta das 18h, a Polícia Militar estimou 10 mil participantes no movimento e a organização 20 mil.

 

CEARÁ
Fortaleza - grupo, formado por centrais sindicais e organizações sociais, se concentrou na Praça da Bandeira, no Centro de Fortaleza, às 14h e iniciou caminhada até a Catedral de Fortaleza às 16h30.

Manifestantes ocupam a Praça da Bandeira, no Centro de Fortaleza (Foto: Elias Bruno/G1)

Os organizadores estimam que cerca de 15 mil pessoas participaram do ato. A Polícia Militar afirmou que não iria divulgar estimativa de público presente.

 

DISTRITO FEDERAL


Brasília - manifestantes contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff começaram a se reunir por volta das 16h desta quarta no estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

 

A marcha começou pouco depois de a chefe do Executivo participar. dentro da arena da Conferência Nacional da Juventude. O ato ocorreu no dia em que o Supremo Tribunal Federal definea os ritos do procedimento de impeachment no Senado e foi convocado por entidades sindicais.

Manifestantes pegam coletes para participar de ato em defesa do governo da presidente Dilma Rousseff em Brasília  (Foto: Alexandre Bastos/G1)

A Polícia Militar estimou a presença de 3 mil pessoas no local. Os organizadores disseram 15 mil.

 

ESPÍRITO SANTO


Vitória - movimentos trabalhistas, militantes do PT e estudantes protestaram na Praça Oito. O evento é nacional e, segundo os organizadores, é em defesa da democracia, a favor da cassação do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), e contra a política econômica do governo.

Protesto na Praça Costa Pereira, em Vitória (Foto: Mariana Carvalho/ G1)

 

Segundo a organização, 1,5 mil pessoas participaram do ato. Mas a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) informou que foram 200 participantes.

 

GOIÁS
Goiânia - protesto contou com integrantes de vários movimentos sociais, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT-GO), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e Movimento Camponês Popular (MCP).

Manifestantes fazem ato a favor da presidente Dilma, em Goiânia, Goiás (Foto: Murillo Velasco/G1)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Segundo a organização do protesto, cerca de 1,5 mil pessoas participavam do protesto às 17h10. Já o assessor de imprensa da Polícia Militar, tenente-coronel Ricardo Mendes, disse ao G1 que no local havia 150 pessoas.

 

MARANHÃO
São Luís - representantes das centrais sindicais, movimentos sociais e estudantis e do Partido dos Trabalhadores (PT) protestaram, nesta quarta-feira (16), contra o processo de impeachment aberto contra a presidente Dilma.

Passeata percorre Rua Grande com destino à Praça Deodoro, em São Luís (Foto: Regina Souza/TV Mirante)

 

Segundo a organização, 2 mil participaram do ato; já a Polícia Militar fala em 400 participantes. O protesto terminou às 18h07, na Rua do Passeio.

 

MATO GROSSO


Cuiabá - integrantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e lideranças políticas da região entregaram panfletos pela manhã contra o impeachment da presente Dilma e  em favor da cassação do mandato do deputado federal Eduardo Cunha (PMDB).

Manifestantes seguram faixas nos semáforos em Cuiabá (Foto: Reprodução/ TVCA)

 

No período da tarde, cerca de 400 pessoas participaram de um ato contra o impeachment da presidente Dilma, na Praça Ipiranga. O número foi estimado pela Polícia Militar. Os organizadores não fizeram estimativa de público.

 

MATO GROSSO DO SUL


Campo Grande - ato da CUT contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff e contra Eduardo Cunha começou por volta das 17h20 (de MS) em Campo Grande. Segundo a organização, a manifestação contou com 1,2 mil pessoas. Já a Polícia Militar contabilizou 250 manifestantes.

 

MINAS GERAIS


Belo Horizonte - participaram do ato integrantes do Movimento Sem-Terra (MST), da Central Única dos Trabalhadores (CUT), do Partido dos Trabalhadores (PT), da União Nacional dos Estudantes (UNE), União da Juventude Socialista (UJS), do Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

Protesto em Belo Horizonte chega a Avenida Afonso Pena, em Belo Horizonte (Foto: Humberto Trajano/G1)

 

De acordo com a Polícia Militar, 5 mil pessoas participaram da passeata. Segundo a organização, foram 20 mil participantes.

 

Governador Valadares - protesto foi realizado pela Frente Brasil Popular local, que é composta por sindicatos e movimentos sociais. O ato reuniu 300 pessoas de acordo com os organizadores. Segundo a Polícia Militar, 250 participantes estavam na praça.

 

Juiz de Fora -  manifestantes começaram a concentração para uma passeata. O evento foi chamado de “Ato em Defesa da Democracia”. Além do apoio à Dilma Rousseff, eles cobram rigidez no processo contra o deputado Eduardo Cunha e pedem a manutenção do mandato da presidente”.

 

Segundo a estimativa da Polícia Militar, 250 pessoas participaram do ato. Os organizadores informaram o número de 1.000.

 

Uberaba - grupo formado por integrantes de sindicatos ligados ao Fórum dos Trabalhadores e movimentos sociais realizou panfletagem nesta quarta. Cerca de 30 pessoas participaram do ato. A Polícia Militar não acompanhou o grupo.

 

Uberlândia - manifestantes se reuniram na Praça Professor Jacy de Assis, também chamada de Praça do Fórum. O grupo também era contra as medidas do ajuste fiscal e pediu a saída do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB). Segundo a organização, o ato reuniu 600 pessoas. A Polícia Militar (PM) contou 100 manifestantes.

 

PARÁ
Belém - manifestantes que protestaram contra o impeachment da presidente Dilma caminharam pelas Belém. O evento, que estava marcado para 17h, começou às 18h50 (hora local) por conta de uma chuva forte, que dispersou os manifestantes.

Manifestação contra impeachment apóia presidente Dilma em Belém (Foto: Jéssica Gatti / G1 PA)

 

Participaram da marcha movimentos sociais, sindicais e de luta pelos direitos das mulheres. Segundo os organizadores, 10 mil pessoas participaram. A Polícia Militar diz 1.700 participantes.

 

Marabá - movimento contra o impeachment da presidente Dilma reuniu cerca de 300 pessoas em Marabá, no sudeste do estado. Os manifestantes caminharam com faixas e bandeiras do Ginásio Municipal, onde ocorre a feira estadual de agricultura, até a sede da prefeitura.

 

PARAÍBA

Campina Grande - manifestantes se concentraram na Praça Clementino Procópio. Às 17h20 (horário local), o grupo saiu em caminhada pelas ruas Floriano Peixoto, Marquês do Herval, Maciel Pinheiro e Venâncio Neiva e terminaram na Praça da Bandeira, onde aconteceu a dispersão por volta das 18h.

Manifestantes exibem cartazes em protesto em Campina Grande (Foto: Everton David/G1)

 

Organizadores contabilizaram 1,5 mil manifestantes; já a Polícia Militar estimou 600 pessoas caminhando pelas ruas da cidade.

 

João Pessoa - concentração aconteceu na Praça da Independência e, por volta das 16h20 (horário local), os manifestantes saíram em direção ao Ponto de Cem Réis, no Centro da cidade, onde chegaram às 17h30. No local, aconteceram shows de artistas locais e, por volta das 18h30, o protesto foi encerrado.

Manifestantes chegam ao Ponto de Cem Réis, em João Pessoa (Foto: Diogo Almeida/G1)

Os organizadores do protesto em João Pessoa estimam que 4 mil pessoas participaram do ato; já a Polícia Militar divulgou uma estimativa de 2 mil.

 

PARANÁ
Curitiba - manifestantes se reuniram, por volta das 17h, na Praça Santos Andrade, no Centro. Às 19h, o grupo saiu pelas ruas da cidade, em direção à Boca Maldita, tradicional ponto de manifestações da capital paranaense.

Manifestantes se reuniram nas escadarias da UFPR (Foto: Diego Sarza/RPC)

A manifestação contou com a presença de 2 mil pessoas, de acordo com os organizadores. A Polícia Militar (PM) afirmou que 500 pessoas participaram.

 

PERNAMBUCO

 

Caruaru - integrantes do Movimento de Trabalhadores Sem Terra (MST) chegaram à mobilização gritando palavras de ordem como "Fora Cunha".

A concentração teve início às 9h e o ato terminou às 11h30.

Integrantes do Movimento de Trabalhadores Sem Terra (MST) participam de mobilização em Caruaru (Foto: André Hilton/ G1)

 

Segundo a organização, participara aproximadamente 800 manifestantes. A Polícia Militar confirmou 300 participantes.

 

Petrolina - concentração do movimento teve início às 16h, e em seguida, os manifestantes seguiriam em panfletagem ao longo da avenida. Segundo a organização, por volta das 16h30, cerca de 100 pessoas estiveram presentes na tenda cultural da Avenida Souza Filho, no Centro da cidade. A Polícia Militar  não acompanhou o movimento.

 

Recife - manifestantes se reuniram na Praça Oswaldo Cruz, no Centro. A Central Única dos Trabalhadores em Pernambuco (CUT-PE) informou que havia mais de 50 mil pessoas na concentração. Segundo o capitão Pereira, do 16º Batalhão da Polícia Militar de Pernambuco, responsável pela a atuação da corporação no local, havia aproximadamente 4 mil pessoas.

O ato foi organizado pela CUT, MST, UNE e Levante Popular e contou ainda com a participação de movimentos populares, movimentos estudantis, centrais sindicais e sindicatos associados à CUT.

No Recife, ato em favor de Dilma é organizado ato pela CUT, MST, UNE e Levante Popular (Foto: Katherine Coutinho/G1)

RIO DE JANEIRO


Rio de Janeiro - manifestantes se reuniram no fim da tarde na Cinelândia, no Centro do Rio. Estão à frente do protesto a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).

Manifestantes participam de protesto a favor da presidente Dilma Rousseff e contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, no Rio de Janeiro (Foto: Vanderlei Almeida/AFP)

A CUT divulgou que por volta das 18h calculava em 6 mil os manifestantes reunidos na Cinelândia. A Polícia Militar não divulgou números em relação à presença de manifestantes. Por volta das 20h30, o público começou a se dispersar.

 

Manifestantes participam de protesto a favor da presidente Dilma Rousseff e contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, no Rio de Janeiro (Foto: Vanderlei Almeida/AFP)

 

RIO GRANDE DO NORTE


Natal - manifestantes caminharam de um shopping na zona Leste da cidade até a árvore de Natal armada ao lado do viaduto de Ponta Negra, na zona Sul. De acordo com a PM, não houve registro de ocorrências policiais. O ato começou às 16h e for encerrado às 19h.

Com bandeiras do PT, grupo faz ato contra o impeachment da presidente Dilma em Natal (Foto: Renato Vasconcelos/G1)

Segundo os organizadores do evento, 10 mil pessoas participaram do ato. A Polícia Militar estimou em 8 mil pessoas.

 

Com bandeiras do PT, grupo faz ato contra o impeachment da presidente Dilma em Natal (Foto: Renato Vasconcelos/G1)

 

RIO GRANDE DO SUL


Caxias do Sul - protesto reuniu cerca de 150 pessoas, segundo a organização do movimento. Participaram integrantes de partidos políticos (PCdoB e PT) e movimentos sociais. Os manifestantes se reuniram na praça Dante Alighieri, no Centro da cidade. Em faixas e cartazes eles defenderam a permanência de Dilma Rousseff no palácio do planalto e pediram a saída de Eduardo Cunha da presidência da Câmara dos Deputados. Um carro de som foi usado para o discurso dos manifestantes.

 

Passo Fundo - cerca de 250 pessoas ficaram concentradas no cruzamento da Avenida Brasil com a Rua Bento Gonçalves, no centro. Houve bloqueio da pista e complicações no trânsito no local. A Brigada Militar não informou quantas pessoas participaram.

 

Porto Alegre -  grupo de manifestantes se reuniu no final da tarde na Praça Montevidéu, no Paço Municipal de Porto Alegre. Segundo estimativa da Brigada Militar, por volta das 18h10 havia cerca de 2 mil pessoas no ato. Já a organização do movimento estima a participação de 5 mil pessoas, segundo o presidente da Central Única de Trabalhadores do Rio Grande do Sul, Claudir Nesporo.

Caminhada terminou na Esquina Democrática, no Centro de Porto Alegre (Foto: Joyce Heurich/G1)

RONDÔNIA
Porto Velho - concentração começou por volta das 16h, na Av. Mamoré com Vieira Caúla, na Praça Valmir Miranda Vitorino, conhecida como Pracinha do Esperança, no Bairro Esperança da Comunidade. A mobilização foi organizada pela Central Única dos Trabalhadores, sindicatos e movimentos sociais.

Manifestantes se reuniram na Zona Leste de Porto Velho para um ato público contra o pedido de impeachment da presidente Dilma (Foto: Mary Porfiro/G1)

Os manifestantes fizeram uma aula pública. Segundo os organizadores, 100 pessoas participaram do ato. A polícia não acompanhou a mobilização.

 

RORAIMA
Boa Vista - manifestantes se reuniram na tarde desta quarta na praça do Centro Cívico, em Boa Vista. O grupo, liderado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) em Roraima, iniciou o ato por volta das 17h e terminou por volta de 18h30 (hora local).

Segundo a organização, 100 pessoas participaram do ato. Não houve policiamento no local.

Manifestantes a favor da presidente se reuniram na Praça do Centro Cívico, em Boa Vista (Foto: Valéria Oliveira/ G1)

Manifestantes a favor da presidente se reuniram na Praça do Centro Cívico, em Boa Vista (Foto: Valéria Oliveira/ G1)

SANTA CATARINA


Florianópolis  - manifestantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT-SC) e de outras centrais sindicais participaram de uma manifestação promovida pela Frente Brasil Popular no Centro de Florianópolis. O movimento terminou por volta das 18h45 em frente ao terminal de ônibus, o Ticen.

Protesto SC - por volta das 17h30, manifestantes seguiam em caminhada pelo Centro de Florianópolis (Foto: RBS TV)

Segundo a organização, o protesto reuniu 3 mil manifestantes. Já a Polícia Militar afirmou que 2,5 mil pessoas participaram do protesto.

 

SÃO PAULO


São Paulo - manifestantes se reuniram no vão livre do Masp e na ciclovia da Avenida Paulista. Todas as faixas da Avenida Paulista, no sentido Consolação, e a ciclovia, foram bloqueadas durante protesto. Os manifestantes usam bandeiras e abriram uma faixa com a frase "Fora Cunha", pedindo a saída do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB).

Integrantes de movimentos populares e de centrais sindicais fazem ato contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, por mudança da política econômica e a favor do afastamento do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, em São Paulo (Foto: Cris Faga/Fox Press Photo/Estadão Conteúdo)

Segundo a assessoria de imprensa da PM, a concentração começou às 14h30, no vão livre do Masp. Por volta das 17h30, o grupo ocupou totalmente a Avenida Paulista, em frente ao museu. Eles iniciaram caminhada em direção à Praça da República, no Centro. Às 20h40 eles já estavam na Praça da República.

 

A Polícia Militar de São Paulo divulgou na quinta-feira (17) novo número de participantes do ato contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), ocorrido na quarta (16), na Avenida Paulista: 50 mil pessoas. No dia do protesto, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) havia informado que 3 mil participaram do protesto. Este número era muito inferior aos levantados por outros órgãos: o Instituto Datafolha contabilizou 55 mil; o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), 70 mil; a União Nacional dos Estudantes (UNE), 75 mil; e a Central Única dos Trabalhadores (CUT), 100 mil.

 

Integrantes de movimentos populares e de centrais sindicais fazem ato contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, por mudança da política econômica e a favor do afastamento do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, em São Paulo (Foto: Cris Faga/Fox Press Photo/Estadão Conteúdo)

 

Sorocaba - cerca de 4 mil trabalhadores do transporte urbano, intermunicipal e rodoviário cruzaram os braços na madrugada desta quarta em Sorocaba (SP) e região. De acordo com o sindicato da categoria, 20 empresas aderiram ao ato que foi realizado contra o impeachment da presidente Dilma.

A paralisação teve início às 0h e afetou 100% da frota. Os ônibus voltaram a circular normalmente por volta das 9h. Participaram do protesto trabalhadores de empresas de Sorocaba, São Roque (SP), Itapeva (SP) e Itapetininga (SP).

SERGIPE
Aracaju - manifestantes e representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) se concentraram na Praça Geral Valadão e seguiram em caminhada pelas principais ruas do Centro. Segundo o presidente CUT em Sergipe, Rubens Marques, 4 mil pessoas participaram do ato. A polícia ainda não divulgou estimativa.

Aracaju (SE): Manifestantes fazem caminhada pelas ruas do Centro da capital sergipana (Foto: Flávio Antunes/G1)


TOCANTINS

Araguaína - manifestantes se posicionaram à margem da avenida Cônego João Lima e gritaram palavras de ordem contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. Com bandeiras do Partido dos Trabalhadores, o movimento foi realizado em frente à Câmara dos Vereadores. A Polícia Militar não acompanhou o protesto.

Manifestantes realizaram ato em Araguaína, norte do Tocantins (Foto: Felipe Maranhão/ TV Anhanguera)

G1/São Paulo

 
 
 
 
 
 
 
 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário