14/04/2011 14h:21 6 mil moradores da Gleba Suiá-Missú temem despejo. Prefeitos pedem ajuda do Governo de MT

As cerca de 6 mil pessoas que moram na Gleba Suiá-Missú vivem dias de apreensão e incerteza por que a qualquer momento pode sair a ordem de despejo, já que o Tribunal Regional Federal (TRF/MT) decidiu pela retirada das famílias que ocupam a área há quase 40 anos atendendo Ação civil Pública impetrada pelo Ministério Público Federal. A decisão foi baseada no fato do Governo Federal ter transformado a área na reserva indígena Maraiwatséde em 1998, décadas após a ocupação.

 

Esta semana prefeitos da região do Araguaia se reuniram com o governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, em Cuiabá. Na oportunidade, o prefeito de Alto Boa Vista, Aldecides Milhomem, falou da preocupação com a possibilidade de um caos social na região caso as famílias venham mesmo a ser retiradas da área.

 

“Governador, precisamos da sua ajuda para tentar impedir o despejo”, pediu o prefeito, ressaltando que inclusive o local conta com toda uma infraestrutura construída ao longo de todos esses anos, como posto de saúde, posto de combustível e outros serviços e comércios.

 

O TRF/MT decidiu pela desocupação da área baseado em laudos antropológicos assinados pela antropóloga, Inês Rosa Bueno, que faz parte da Associação Brasileira de Antropologia (ABA) entidade ligada ao Ministério Público da União (MPU) e FUNAI, autores e parte interessada da Ação Civil Pública. (Sandra Carvalho e Vanessa Lima/jreporterdoaraguaia.com)