14/04/2014 - Polícia Civil desarticula grupo de grileiros e prende mandantes de homicídios em Confresa

Após quatro meses de investigações, a Polícia Judiciária Civil do município de Confresa conseguiu prender duas pessoas acusadas de grilos de terras e homicídios na região, os suspeitos foram presos ontem sexta-feira, (11), em uma operação da PJC.

De acordo com informações repassadas ao Site Agência da Notícia pelo Delegado Michael Mendes Paes, após a morte do proprietário da fazenda São Sebastião Lino Rocha de Andrade, o grupo articulado pelos “cabeças” A.F.X e B.A.S pretendiam grilar a terras de aproximadamente 200 alqueires que era cuidadas pelo caseiro Reginaldo Alves Pereira.

O grupo contava com mais dois comparsas os irmãos identificados pelas iniciais C.T.C “Tubarão Preto” e J.C o “Pezão” e um terceiro suspeito identificado apenas como “Pé de Gambarro” responsáveis pelos homicídios.

Os suspeitos passaram a ameaçar através de bilhetes e tiros na placa da fazenda o caseiro Reginaldo em uma tentativa de expulsa-lo da propriedade para que fosse tomada pelos acusados, com a intenção de vende-la futuramente devido a área está avaliada em uma alto valor.

Após as ameaças Reginaldo procurou a Polícia Civil onde informou o caso ao delegado Michael Paes que passou a investigar a situação, após quase um mês do ocorrido Reginaldo foi morto com dois tiros um no ombro outro na cabeça, de acordo com o delegado sinais claros de execução.

O segundo caseiro Milton Anselmo da Costa após a morte de Reginaldo passou a cuidar da propriedade, após algum tempo Milton também foi assassinado a tiros na Vila Planalto localizada a 30 km de Confresa.

A PJC munidas de informações passou a investigar os quatro suspeitos através de interceptações telefônicas e provas do crime colhidas durante as investigações.

“Tubarão Preto” seria o executor dos dois caseiros a mando dos líderes A.F e B.A que estariam foragidos da justiça juntamente com Tubarão Preto.
Na operação de ontem a Polícia Civil comandada pelo delegado Michael cumpriu dois mandatos de prisão contra os suspeitos J.C o “Pezão” e A.F.X.

Entenda o Caso:

“Os dois caseiros mortos trabalhavam para o fazendeiro Lino Rocha Andrade já falecido, e a propriedade teria sido herdada pelo filho do fazendeiro que é morador do estado de Goiás portanto não poderia estar vindo com frequência cuidar da fazenda que ficava sob a responsabilidades dos caseiros” explicou o delegado.

Os acusados sabendo dessas informações acharam que a terra estava sem dono e começaram o processo de grilagem, como os caseiros não atenderam aos pedidos dos suspeitos foram mortos para que a propriedade ficasse sem ninguém e livre para ser tomada.

Os suspeitos presos foram encaminhados a Cadeia Pública de Porto Alegre do Norte onde aguardam sob o poder da justiça, já Baltazar e Claudinei continuam foragidos.

Após a conclusão desse inquérito, o delegado Michel foi transferido para outra delegacia. Essa é considerada a maior operação contra grilagens de terra, onde a Polícia conseguiu chegar aos cabeças das armações de grilagem e responsáveis por mortes no Norte Araguaia.

 

 

Agência da Notícia

Comentários

Data: 15/04/2014

De: revoltado

Assunto: eeeeeeeeeebrasilzão

ca de a conpetencia da justiça, depois de 2 mortes acha que ainda fecharão com chave de ouro, os coitados morrerão, e os bandidos da qui apouco estão soltos.e revoltante, talvez se a justiça deixase ele anda armados tinhão se defendidos.

Data: 14/04/2014

De: sem nome

Assunto: assassinatos

Pelo amor de Deus, os caras denunciaram, pediram ajuda para a polícia e de que adiantou? Se fosse uma cidade grande dava até para entender a demora para identificar os bandidos, mas foi preciso 3 mortes seguidas (fazendeiro e 2 caseiros) e 4 longos meses de investigações para finalmente a polícia prender os bandidos. Aff!

Novo comentário