14/04/2015 - Estado cobra R$ 600 mil em impostos atrasados de empresa de energia

O secretário de Fazenda, Paulo Brustolin, participou nesta segunda-feira da primeira reunião entre o Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira) e o Grupo Energisa, responsável pela distribuição de energia elétrica em Mato Grosso, na sede do Ministério Público. O encontro marcou o início do diálogo entre o Executivo e a empresa, a fim de buscar solução consensual para a quitação de débitos tributários existentes com o Estado. 

 

O governo, representado por Brustolin e pelo secretário-executivo de Segurança Pública, Fábio Galindo, que também é secretário-geral do Cira, apresentou o diagnóstico da situação tributária e de investigações que envolvem a antiga Rede Cemat, sucedida pela Energisa. Dessa forma, ambas as partes ressaltaram a intenção de se compatibilizarem quanto à necessidade de recuperar ativos sem inviabilizar as atividades econômicas da empresa, que são reconhecidamente valiosas para o desenvolvimento do Estado, disse Galindo. “O ambiente foi muito amistoso, de forma que ambas as partes sinalizaram a intenção de discutir um acordo que preserve os interesses do Estado e simultaneamente o planejamento da empresa para Mato Grosso e dentro da legalidade. Estamos confiantes que um consenso será alcançado”, afirmou o responsável pelo Cira. 

 

Para o diretor-presidente do Grupo Energisa, Wilson Couto, a reunião foi positiva justamente por dar transparência. “Nós temos 110 anos de existência e tradução, com ética e honestidade. Acredito que essas reuniões são importantes por serem transparentes e estamos buscando um consenso de maneira que todos ganhem, principalmente a sociedade”, pontuou. 

 

Já Brustolin reforçou a atuação do Cira e garantiu que o comitê é fundamental para a recuperação de ativos. “O Cira marca um novo momento na história de Mato Grosso, do ponto de vista da recuperação de crédito, algo que estava esquecido aqui. Estamos sendo justos e trazendo novos recursos para o caixa do governo do Estado, que é um governo pautado pela legalidade”, completou. 

Uma nova reunião com a Energisa está agendada para o início do mês que vem com o objetivo de aprofundar a discussão acerca das cláusulas do acordo que será firmado. Toda a negociação envolve o valor de aproximadamente R$ 600 milhões. 

 

O Cira é presidido pelo governador Pedro Taques e tem como membros os secretários de Segurança, Mauro Zaque, e de Fazenda, Paulo Brustolin, o procurador-geral do Estado, Patryck Ayala, o delegado geral da Polícia Civil, Adriano Peralta, e o procurador-geral de Justiça, Paulo Prado.

 

 

Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário