14/07/2015 - Consumidores da região Norte Araguaia pagam o combustível mais caro de Mato Grosso

14/07/2015 - Consumidores da região Norte Araguaia pagam o combustível mais caro de Mato Grosso

Em Confresa e Vila Rica, o litro da gasolina chegou a R$ 4,07 e R$ 4,14. Segundo ANP, diferença do litro pode chegar a R$ 0,40 em Rondonópolis.

O Governo Federal reajustou no dia 16 de junho os preços da gasolina e do óleo diesel, que tiveram um aumento de R$ 0,02 por litro. A população de Mato Grosso já tem sentido o aumento pesar no bolso. Quanto mais ao norte do Estado fica o município, mais caro é o combustível. Na região do Araguaia, os preços do litro da gasolina chegam a R$ 4,07 em Confresa e na cidade vizinha de Vila Rica, foi encontrado o preço de R$ 4,14 por litro. Em Paranaíta, próximo à divisa com o Pará, o litro da gasolina estava R$ 3,79. EmNova Mutum, na região Médio-Norte, o litro da gasolina está sendo vendido a R$ 3,63. Os preços foram enviados por consumidores pelo aplicativo Bem na Hora.

Com os preços nas alturas, é preciso pesquisar. Em Sinop, a 503 km de Cuiabá, o consumidor precisa desembolsar em média R$ 3,40 por litro de gasolina. Os valores entre um posto e outro podem oscilar entre R$ 3,25 e R$ 3,54, uma diferença de R$ 0,29 por litro no município.

 

Desde o início do ano até julho, foram cinco reajustes e, até o final do ano, o preço pode aumentar mais. "O Governo Federal adotou uma estratégia desde o mês passado de reajustar os combustíveis. Infelizmente, temos que nos preparar porque vem aí um aumento de R$ 0,01 a R$ 0,02 centavos todos os meses até dezembro", informa Fausto Masson, do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Mato Grosso (Sindipetróleo).

 

Quanto mais longe a distribuidora autorizada de combustíveis fica da cidade, mais caro é o frete. "Tudo varia de acordo com meu preço de compra. Eu sou bandeirada, então eles me passam um preço e com base nesse preço de compra eu coloco minha margem e é feita a venda nas bombas", afirma Geórgia Queiroz, proprietária de um posto de combustíveis em Tangará da Serra, a 242 km de Cuiabá.

 

A procura pelo etanol por ter um preço mais em conta tem sido uma alternativa para economizar. "Justamente por estar compensando mais em relação à gasolina no momento, mas os dois estão com o preço super elevado", afirma Railei Leal, perito criminal no município.

 

Abastecer só com a gasolina está fora da realidade, pelo menos para Elizandro Bitencourt, empresário, que gasta em média quase R$ 2 mil por mês para abastecer a caminhonete com diesel. "Se fosse abastecer com gasolina, seria o dobro", relata.

Segundo o empresário Diego Granja, dono de um posto de Sinop, três fatores compõem os preços do combustível. "O preço é formado pela origem dele na refinaria, a questão dos impostos cobrados que divergem de um estado para o outro, e mais a questão logística de frete para chegar até aqui", explica.

 

E são justamente os tributos e a logística que acabam elevando os preços, segundo o empresário Jonas de Paula, de outro posto no município. Ele trabalha há mais de dez anos no ramo e explica que Mato Grosso tem um dos Impostos sobre Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) mais caros do Brasil. “Enquanto que nos estados vizinhos, Mato Grosso do Sul e Goiás, é 12%, no nosso estado é 17%. Isso nos encarece o diesel em torno de R$ 0,15 por litro", destaca.

 

A pesquisa da ANP revelou também os preços mais altos e mais baixos para a gasolina no Estado. Em Alta Floresta, o litro custa R$ 3,74, em Sorriso R$ 3,62, em Cáceres R$ 3,36, em Cuiabá R$ 3,23 e em Várzea Grande R$ 3,22.

 

 

 

Fonte: G1

 

 

 

Comentários

Data: 15/07/2015

De: Mary

Assunto: gasolina

O preço maior é em Luciara, R$ 4,30

Novo comentário