14/07/2016 - Assembleia forma cinco blocos parlamentares e acaba com divisão entre governistas e oposição

Após diversos deputados estaduais mudarem de partido, com a “janela” aberta em março deste ano, e se reacomodarem entre oposição e situação, os blocos parlamentares foram redesenhados na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Neste ano, que é o segundo da legislatura atual e do governo Pedro Taques (PSDB), os 24 deputados passaram a se dividir em cinco blocos, todos com quatro a seis membros. A nova formatação foi publicada no Diário Oficial que circula nesta quarta-feira (13).
 
No ano passado, a Casa de Leis era dividida em dois blocos, um formado basicamente pela base de sustentação do governador Pedro Taques e o outro por deputados de fora da base. A nova divisão deixou mais fluida a separação entre oposição e situação, fluidez que foi reforçada pela recente votação da polêmica lei da Revisão Geral Anual (RGA) 2016.

Independente da composição dos blocos, o Poder Executivo continua tendo maioria folgada no plenário para decidir as votações dos projetos de interesse do Palácio Paiaguás. Pedro Taques, que chegou a contar com maioria esmagadora na Assembleia, de 21 dos 24 deputados, hoje conta com 17 parlamentares em sua base.

O maior bloco é o do PSD, detentor da maior bancada individual no Edifício Dante Martins de Oliveira, com seis deputados. Em seguida, empatados com cinco parlamentares - cada, estão o bloco Independente, formado pelo PMDB e PDT, e o bloco Social Democrata, formado pelo PSDB e DEM. O PSB, com quatro deputados, também compôs um bloco individual. Os deputados do PSC, SD e PV se uniram e formaram o Bloco Trabalhista Social Cristão, com quatro integrantes.

Na prática, os blocos do PSB, PSD e Social Democrata dão sustentação ao governo de Taques. A maioria dos integrantes do Bloco Independente tem tendência para a oposição, enquanto a maioria dos membros do Bloco Trabalhista Cristão oscila entre os dois lados.

A mudança dos blocos influencia também na formação das comissões permanentes da Casa de Leis, já que agora, cada comissão tem um membro titular e um suplente de cada bloco. As maiores alterações na composição dos partidos em relação ao ano passado foram a entrada do PSD na base governista, depois de eleger sua bancada pela oposição, e o fim do PR, também eleito na oposição, que tinha quatro deputados e ficou sem nenhum.

Em 2015

A formação dos blocos gerou algumas contestações no ano passado, quando o PDT foi compor com a oposição e o PR se abrigou no grupo governista. Posteriormente, outra polêmica foi provocada pelo deputado Emanuel Pinheiro (então no PR, hoje no PMDB), que ignorou os blocos e usou a proporção das bancadas partidárias para buscar na Justiça uma vaga na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Renúncia e Sonegação Fiscal. Ele chegou a obter uma liminar para entrar na CPI.
 
Em 2015, o bloco governista tinha 14 deputados e era liderado por Dilmar Dal'Bosco (DEM). O grupo tinha Emanuel Pinheiro, Mauro Savi, Nininho, Wagner Ramos e Sebastião Rezende (todos então no PR); Pery Taborelli e Wancley Carvalho, então no PV; Eduardo Botelho, Max Russi e Oscar Bezerra, todos do PSB; e Saturnino Masson, Guilherme Maluf e Wilson Santos, do PSDB.

O bloco de oposição, com dez deputados, tinha como líder Gilmar Fabris (PSD) e como membros José Domingos Fraga, Janaina Riva e Pedro Satélite, todos então no PSD; Romoaldo Júnior, Silvano Amaral e Baiano Filho, então no PMDB; além de Zeca Viana e Leonardo Albuquerque, então no PDT, e Zé do Pátio (SD).
 
Confira a formação dos novos blocos da Assembleia:
 
I - Da Bancada do Partido Socialista Brasileiro – PSB:
- Mauro Savi
- Eduardo Botelho - líder
- Max Russi
- Oscar Bezerra
 
II - Da Bancada do Partido Social Democrático – PSD:
- Ondanir Bortolini “Nininho”
- Wagner Ramos
- Gilmar Fabris - líder
- Zé Domingos Fraga - vice-líder
- Pedro Satélite
- Leonardo Albuquerque
 
III - Da Bancada do Bloco Independente:
- Emanuel Pinheiro – PMDB - líder
- Romoaldo Júnior - PMDB
- Janaina Riva - PMDB
- Silvano Ferreira do Amaral - PMDB
- Zeca Viana - PDT
 
IV - Da Bancada do Bloco Social Democrata:
- Saturnino Masson - PSDB
- Guilherme Maluf - PSDB
- Wilson Santos – PSDB - líder do governo
- Baiano Filho - PSDB
- Dilmar Dal Bosco - DEM
 
V - Da Bancada do Bloco Trabalhista Social Cristão:
- Sebastião Rezende - PSC
- Pery Taborelli - PSC
- Zé do Pátio - SD
- Wancley Carvalho - PV

 

 

 

Da Redação - Laíse Lucatelli

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário