14/08/2014 - Presidente Dilma decreta luto oficial por três dias e suspende campanha pela morte de Campos

A presidente Dilma Rousseff decretou luto oficial de três dias pela morte do do governador de Pernambuco e candidato à presidência Eduardo Campos (PSB) ocorrida nesta quarta-feira (13.8), em Santos (SP), após a queda do avião em que viajava.

Em nota de pesar distribuída pelo Palácio do Planalto, a presidente disse que está “tristíssima” e lembrou que teve "longa convivência" com Campos durante o governo do então presidente Luiz Inácio Lula, quando os dois eram ministros.

"O Brasil inteiro está de luto. Perdemos hoje um grande brasileiro, Eduardo Campos. Perdemos um grande companheiro", declarou a presidente.

As bandeiras de todos os órgãos do Poder Executivo estão a meio mastro em Brasília. Dilma suspendeu sua campanha por três dias e anunciou que não participará da entrevista no Jornal Nacional, da TV Globo, programa para a noite desta quarta-feira.

A morte repercutiu fortemente também do outro lado da praça dos Três Poderes. Os presidentes da Câmara Federal Henrique Alves (PMDB/RN) e do Senado, Renan Calheiros (PMDB/AL) emitiram nota conjunta para lamentar a morte prematura de Eduardo Campos.

Renan Calheiros decretou luto oficial de três dias aos trabalhos do Congresso. Ele prometeu realizar homenagem póstuma ao ex-governador pernambucano.

“A tragédia deixa Brasil chocado e surpreso. Foi um homem respeitável em todos os aspectos da sociedade e pai exemplar”, disse Renan. 

Em campanha para o Senado, Henrique Alves recebeu a notícia em Natal (RN), sua base eleitoral, onde concedeu entrevista coletiva ao lado do candidato à presidência Aécio Neves (PSDB). 

 

 

De Brasília - Vinícius Tavares

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário