14/08/2015 - Governo do Estado lança editais de incentivo à produção artística

14/08/2015 - Governo do Estado lança editais de incentivo à produção artística

A Secretaria de Estado de Cultura, Esportes e Lazer (Secel) lançou, no Dia Nacional das Artes, na última quarta-feira (12), 12 editais de incentivo à produção artística, com recursos próprios totalizando R$ 3,460 milhões. 

O objetivo da medida, denominada "Circula MT", é democratizar o acesso à cultura, transparência e interiorização em Mato Grosso. 

O projeto contempla 38 projetos entre teatro, dança, artes visuais, música, audiovisual e circo. Os valores variam entre R$ 40 mil e R$ 50 mil, no total de R$ 1,790 milhão. 

Outros editais, no valor de R$ 1,380 milhão, também lançados na quarta-feira, são o Prêmio Tradições, que visa à proteção e fortalecimento das culturas populares e tradicionais; Prêmio Territórios MT, com o objetivo de incentivar projetos culturais em espaços independentes com oficinas, além do incentivo do intercâmbio cultural; Prêmio MT Criativo, para projetos na economia de economia solidária; e o Prêmio Quadrinhos MT, como incentivo a criação da produção de estórias em quadrinho no Estado. 

Além destes projetos, já haviam sido lançados, no dia 4 de julho, o Prêmio Mato Grosso de Literatura e Grafite MT, num montante de R$ 290 mil. 

Segundo o secretário de Cultura, Leandro Carvalho, um dos diferenciais na escolha dos projetos culturais é que a análise não se dará pelos membros do Conselho Estadual de Cultura, mas por comissões técnicas de cada área, composta por especialistas sem qualquer ligação com servidores da Secel e com os proponentes. 

“Além de democratizar o acesso, o processo se dará de uma forma mais transparente. O conselho agora tem o papel de formulador de políticas públicas", disse o secretário. 

Carvalho lembrou que, no ano passado, uma operação da Delegacia Fazendária descobriu um esquema de favorecimento na aprovação de projetos culturais, levando à prisão de alguns membros do conselho. 

"Agora, em comum acordo, mudamos a metodologia. Após a análise dos documentos, aí que será realizada a análise técnica”, explicou o secretário, que também é presidente do Conselho Estadual de Cultura. 

O governador Pedro Taques disse que o lançamento dos editais reflete um momento muito significativo no processo de democratização, transparência e interiorização. 

Ele observou que,entre as ideias sugeridas ao secretário Leandro Carvalho, há a mudança para o antigo prédio da Secopa, na Avenida Lava Pés, no bairro Goiabeiras, pelo acervo de obras de arte. 

Outra ideia é transformar o Arquivo Público em uma Escola de Artes, no local onde já foi sede do Tribunal de Justiça, na Avenida Getúlio Vargas. 

Também foram iniciadas tratativas com o comando do Exército para transformar o 44º Batalhão no Centro Cultural Marechal Rondon e o Cine Teatro, que ficaria a cargo do Sesi. 

Bienal e saraus

“O Centro de Cuiabá precisa de equipamentos para que a população possa vir à rua para concretizar a política pública cultural. Precisamos deixar o Palácio da Instrução ‘digoreste’, para receber a Bienal no mês de novembro. O cidadão que mora no Distrito de Guariba, em Colniza [1.065 km a Noroeste de Cuiabá], não tem o direito de ver uma obra de Picasso? O morador do Jardim Florianópolis, Jardim Vitória não tem direito de ver as mais variadas manifestações artísticas?”, questionou o governador. 

Pedro Taques disse, ainda, que pretende fazer saraus no Palácio Paiaguás, para discutir cultural com intelectuais, além de discutir como reduzir a violência com o pessoal ligado ao movimento do rap.

“No Piauí, a Secretaria de Segurança Pública dialoga com as gangues por meio do movimento do rap”, disse. 

O governador observou também que Cuiabá, por ser o centro da América do Sul, pode ser transformar num grande polo cultural.

 

 

Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário