14/08/2015 - Pioneiro da Expedição Roncador Xingu “Luiz Pelego”, em entrevista ao documentário e série de TV sobre o patrimônio histórico e cultural do leste Mato-Grossense.

Luiz Pereira Lima, mais conhecido pelo apelido de “Luiz Pelego”, apelido esse desde os tempos de criança quando ainda estudava em escola de padres jesuítas no distrito de Araguaiana, antigo “Registro do Araguaia” pioneiro da Expedição Roncador Xingu “Marcha para o Oeste” em entrevista ao documentário e série de TV sobre o patrimônio histórico e cultural do leste Mato-Grossense, a referida etapa do projeto do documentário está sendo desenvolvido com o apoio da Uniselva pelo Núcleo de Produção Digital Formação Técnica e Difusão Audiovisual (NPD) da Universidade Federal do Estado de Mato Grosso. 

 

Campus Araguaia em parceria co o Ministério da Cultura e a Secretaria de Audiovisual. “Luiz Pelego” personagem histórico, entrevistado aos documentaristas destacou em depoimento, contando vários assuntos relacionados ao Araguaia. Destacou “Luiz Pelego” que fez parte da Expedição Roncadora Xingu, expedição essa que tinha o objetivo de desbravar a região Centro Oeste interiorizando o interior do Estado de Mato Grosso aos demais Estados da Federação. Conta “Luiz Pelego”, que trabalhou ao lado dos irmãos Vilas Boas, Orlando Claudio e Leonardo, o pioneiro “Luiz Pelego”, lembra com detalhes sobre a Expedição Roncador Xingu, disse em depoimento aos documentaristas que trabalhou em vários postos avançado da Expedição, sita o posto do jacaré, Diauarun e outros, conta que naquela ocasião morriam muitos trabalhadores em decorrência da malária e sarampo, conta que morreu muitos índios da tribo dos camaiurás, pois a febre era intensa e eles ao procurarem a água para se refrescarem da auto febre acabavam morrendo. 

Lembra o pioneiro sobre os episódios ocorridos na cidade de Aragarças-GO, quando o Major Veloso ordenou bombardear vários postos avançados da Expedição, que na ocasião havia sido emprestado para trabalhar na FAB, e recebiam ordem para colocarem tambores de combustíveis ao redor do aeroporto para atirarem contra os tambores e explodir os aviões comandado pelo Major Veloso. 

 

Ao ser entrevistado sobre a navegabilidade do Rio Araguaia e a importância do Rio, disse que o Rio Araguaia era um rio navegável, que navios de pequeno porte partiam do Pará até o porto de Torixoréu, antiga “balizinha”. Ao ser entrevistado sobre a importância do Rio, disse que as pessoas deveriam ter consciências e zelar mais pelo rio, que na época não havia bancos de areia, hoje se torna inviável sua navegação, sobre riquezas minerais, disse que haviam vários garimpos de diamante, que inclusive a praia quarto crescente existia um garimpo de diamante, e que haviam muito diamante naquela localidade.

 

 

 

 

 

Texto e Redação; Repórter colunista Robson Lima       

Fotos de Robson Lima  


 

Comentários

Data: 15/08/2015

De: Sergildo Ribeiro Gonzaga

Assunto: Marcha para o Oeste

Matéria maravilhosa!!
É preciso resgatar a nossa história. A Marcha para o Oeste brasileira é mais intensa, mais rica e mais forte do que a Marcha para o Oeste dos Estados Unidos. Com a diferença que os americanos assassinaram mais índios do que nós.
A Expedição Roncador-Xingu, criada pela Fundação Brasil Central é uma riqueza que nossos jovens e professores precisam conhecer.
Nossas faculdades da Barra e da região precisa deixar de lado as pirâmides do Egito, a Cleópatra e o rei Tutancamon e se voltar para nossos heróis: Os Villas Boas, Rondon, Hermano Ribeiro e Chico Brasileiro...
Vamos Ganhar muito mais ensinando nossa juventude sobre nós mesmos.
Se for feito um concurso no Estado de Mato Grosso, onde a matéria única seja sobre a Marcha para o Oeste, todo mundo tira zero; ninguém passa. E isso é uma coisa lamentável!!

Novo comentário