14/08/2015 - Secretário de Finanças assume morte de Prefeito de Matrinchã e esposa

14/08/2015 - Secretário de Finanças assume morte de Prefeito de Matrinchã e esposa

Irmão de ex-deputado do PMDB, suspeito se entrega devido a pressões familiares. Hélio Alves Soyer é secretário de Finanças do município

 

A Polícia Civil de Goiás tem o primeiro suspeito pela morte do prefeito Daniel Antônio de Souza e de Elizete Bruno de Bastos, sua esposa, ocorrido na terça-feira (4), Os dois foram mortos próximos de Matrinchã, cidade onde Daniel era o prefeito.

O gestor e sua esposa foram encontrados mortos na manhã do dia 4 na chácara da família, na região rural de Matrinchã, município localizado na região noroeste de Goiás.

Conforme a Polícia Civil, o secretário Hélio Alves Soyer se apresentou à polícia na tarde de ontem e supostamente confessou sua participação no duplo assassinato.

Conforme os familiares, seria melhor que ele se entregasse, pois poderá se beneficiar da idade em quatro anos. O secretário tem 66 anos e estava à frente da secretaria desde o início do mandato de Daniel, em janeiro de 2013.

Ele é irmão do ex-deputado Luiz Alberto Soyer, liderança do PMDB goiano. Ontem, os órgãos públicos fecharam suas portas logo que chegou a informação de que Soyer teria confessado o crime. Nas redes sociais da prefeitura, a população lamentava e se dizia assustada com o comportamento de Soyer.

O secretário não aparecia na cidade desde quarta-feira da semana passada.  Dentre as especulações, a que mais aparecia nas redes sociais é de que o prefeito teria descoberto improbidades do secretário e este temia que elas fossem divulgadas.

O suspeito encontrou com as vítimas antes do crime numa reunião realizada na residência de Cleyb Bueno, também gestor na prefeitura.
 
IDADE
A Polícia Civil ainda não informou as motivações do crime. O Código Penal, todavia, prevê que atenuantes devem ser aplicados às condenações de réus com 70 anos ou mais.

Outra facilidade para Soyer, caso chegue a esta idade, será a prescrição. Aos que tiverem mais de 70 anos, ocorre a redução pela metade do prazo para a prescrição do crime.

Assim, se no momento da sentença, ele tiver mais de 70 anos, um crime que prescreva em 20 anos deverá prescrever em 10.

 

 

Beto Silva

Diário da Manhã


 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário