14/09/2011 - Prefeitos de MT cobram recursos contingenciados do governo federal

Não é somente a busca de recursos da emenda 29 para a saúde e dos royalties do pré-sal que mobiliza prefeitos de Mato Grosso a pressionar o governo federal em Brasília nesta semana. A paralisia do executivo federal em realizar investimentos, executar obras e fazer os repasses é outra dor de cabeça para os gestores municipais.

É o caso do prefeito Leonardo Farias Zanpa (PR), de Nova São Joaquim. Mais jovem prefeito eleito de Mato Grosso nas últimas eleições, aos 27 anos, ele espera de 2009 a liberação de recursos para obras de infraestrutura.

Segundo Zanpa, existe um convênio assinado com o Ministério da Integração Nacional no valor de R$ 600 mil para a construção de uma ponte e outro termo assinado para asfaltamento, no valor de 150 mil. Ele lembra que tem a receber outros R$ 2.84 milhões do Ministério das Cidades, mas que só 10% foram pagos.

"Desde 2009 nada foi pago na Integração. Mas o Ministério garantiu que pagará ainda neste mês. Infelizmente isso está acontecendo com a maioria dos municípios", disse Zanpa após reunião com o diretor de política de investimento da Sudeco (Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste), Cléber Ávila.

Um dos motivos alegados pela Sudeco para a demora na análise dos projetos e liberação dos recursos é a falta de pessoal. A Sudeco substituiu a extinta Secretaria de Desenvolvimento do Centro-Oeste, mas ainda não foi totalmente reestruturada.

 

De Brasília - Vinícius Tavares

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário

OS COMENTÁRIOS É DE TOTAL RESPONSABILIDADE DOS INTERNAUTAS QUE O INSERIR. O REPÓRTER DO ARAGUAIA ONLINE RESERVA-SE O DIREITO DE NÃO PUBLICAR MENSAGENS COM PALAVRAS DE BAIXO CALÃO, PUBLICIDADE, CALÚNIA, INJÚRIA, DIFAMAÇÃO OU QUALQUER CONDUTA QUE POSSA SER CONSIDERADA CRIMINOSA. OS COMENTÁRIOS QUE CONTER NOS ITENS CITADOS ACIMA SERÃO EXCLUÍDOS. TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO ARQUIVADOS ATRAVÉS DO IP E SERVIRÃO DE PROVAS CONTRA AQUELE QUE USAR ESTE MEIO DE COMUNICAÇÃO.