14/09/2014 - No inverno, praia e pesca esportiva são atrações no rio Araguaia, em Goiás

Quer pegar uma praia no inverno? Ou prefere o sossego de uma pescaria? No interior de Goiás você consegue aproveitar tudo isso. Entre os meses de maio e outubro, as águas do rio Araguaia baixam e surgem praias incríveis de areias brancas.

Desde a década de 1940 o destino era procurado por famílias tradicionais de Goiânia, que passavam as férias de julho em rústicos ranchos de palha. Hoje, nas mesmas praias, o turista pode se hospedar em acampamentos luxuosos semelhantes a hotéis de selva.

Na alta temporada, Aruanã -- a 310 km de Goiânia e porta de entrada para o Rio Araguaia – e outras cidades têm a população quintuplicada, já que muitas famílias e jovens em busca de diversão escolhem passar o inverno nas praias da região.

Como qualquer praia, além de muito sol, há esportes como vôlei e futebol e passeios de barco, lanchas e jet sky. A diferença para o litoral é apenas uma: aqui a água é doce.

Quem procura agito encontra nos acampamentos programação intensa, com baladas, festas temáticas, DJs, luaus, shows sertanejos e apresentações de nomes conhecidos da MPB.

Já quem prefere curtir a natureza e uma boa pescaria costuma se afastar das praias próximas das cidades. O meio mais confortável para este tipo de passeio é o barco hotel. São embarcações equipadas com quartos, cozinha e deck.
 
O turista pode dormir no próprio barco ou então experimentar um acampamento em barracas numa praia deserta, saboreando um bom vinho branco ao redor de uma fogueira e degustando a deliciosa sopa de piranha e um peixe assado com batatas.
 
O município de Luiz Alves, distante cerca de 400 km de Goiânia, é considerado o paraíso da pesca esportiva por estar próximo da Ilha do Bananal, maior ilha fluvial do planeta e da região do rio Cristalino. A diversidade de espécies ali é enorme: há pintado, dourado, filhote, pacu, piapara e pirarucu, entre outros.
 
A temporada de pesca esportiva ocorre entre maio e outubro. Nos outros meses do ano a pesca é proibida, pois é a época de defeso da piracema. No período das chuvas os peixes migratórios sobem o rio para desovarem na cabeceira e esta restrição garante a pesca para o próximo ano.

Para o exercício da pesca amadora o turista precisa de uma licença fornecida pelo IBAMA (clique aqui para saber mais). Cada pescador licenciado tem uma cota máxima de pescado que pode capturar e transportar. Deve ser observado também o tamanho mínimo por espécie de peixe. A fiscalização é rigorosa e, dependendo do caso, a multa pode chegar a R$ 100 mil.

Xô, mosquito!
Como se trata de uma região silvestre, alguns cuidados são necessários para evitar acidentes e desconforto durante a viagem. O principal é chegar com a vacina da febre amarela em dia. Ela tem validade de dez anos e deve ser tomada dez dias antes da viagem.

Outras espécies de mosquitos, como o pernilongo e o pólvora, são bastante agressivos e adoram quando o "pessoal da cidade grande" chega. Um bom repelente garante estes pestinhas afastados e uma boa noite de sono.

Nas áreas distantes das praias mais movimentadas, convém se informar sobre a presença de piranhas e arraias na região. As arraias possuem esporões perto da cauda e ficam enterradas próximo às margens. Pisar em uma e ser ferroado é uma experiência muito dolorida. Isso pode ser evitado arrastando os pés quando for caminhar dentro da água.

 

 

Escrito por David Santos Jr. Do UOL, em Goiás

Comentários

Data: 15/09/2014

De: kkkkkk

Assunto: kkkkkkk

NEIM PEXE TEM MAIS NESSE RIO. SÓ DÁ MANDUBÉ E PACU FERRADA. ACABARO COM OS PEXE AGORA VEM COM ESSA LOROTA.

DAQUI UNS ANO O RIO ARAGUAIA SERÁ CHAMADO DE PISCINAO ARAGUAIA, PORQUE NAO TERA OTRA COISA A NUM SER AGUA.

SOU MAIS FONTOURA E XINGU.

Data: 15/09/2014

De: rio araguaia

Assunto: Re:kkkkkkk

então vai tomar no c......

Novo comentário