14/09/2015 - Taques admite que saúde está ruim, mas vê que já é melhor que de Silval

O governador Pedro Taques (PSDB), em visita a Sinop, disse que a gestão irresponsável de Mato Grosso acabou em 2014, numa referência ao antecessor Silval Barbosa (PMDB), em razão da falta de investimentos na saúde, educação e segurança pública.

 

“Nossa administração não faz política partidária com ações do estado. Não pauto as minhas viagens tendo em conta as ações que o Governo faz. Governo irresponsável acabou em 31 de dezembro de 2014”, dispara.

 

Em oito meses, essa é a terceira vez que Taques vai a Sinop. Na visita realizada ontem (11), o tucano participou da inauguração da nova sala cirúrgica e centro de hemodinâmica do Hospital Santo Antônio, que atende pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em convênio firmado junto ao Governo. 

 

Segurança

Taques compara os oito meses de sua gestão com os últimos 10 anos. Na área da segurança, por exemplo, o tucano afirma que já chamou mais de 200 soldados do Corpo de Bombeiros, sendo que desde 2004 (1ª gestão Blairo Maggi), apenas 80 foram convocados.

 

Até agora, segundo Taques, foram nomeados mais de 1,3 mil policiais, entre Judiciária Civil e Militar. O governador revelou ainda que até em março do ano que vem pretende convocar mais 3,4 mil. “É o maior chamamento da história de Mato Grosso na área da segurança. Agora porque a administração passada não fez?”, questionou.

 

Em relação a falta de segurança que preocupa a população de Sinop, o chefe do Executivo estadual argumenta que as policias realizam operação na região para combater a criminalidade. “Os números revelam que o homicídio caiu. Mas o de roubo cresceu. Até o final do ano vamos designar 135 policiais para atuarem nessa região”, garante.

 

Saúde

O governador admitiu que a saúde no estado não é a ideal. Sustenta que por meio dos consórcios municipais, contratação dos serviços da iniciativa privada e hospitais filantrópicos a situação vai melhorar. “A Saúde ainda não está boa, quero reconhecer isso, mas vamos melhorar muito”, garante.

 

Na oportunidade, o gestor cobrou dos prefeitos a contrapartida. “Saúde não se faz apenas com hospitais. Precisamos que os municípios invistam na atenção básica, através da cobertura das unidades básica de saúde, e isso não vem sendo feito. E é bom que seja dito”, ressaltou.

 

Acerca das ações desenvolvidas, Taques também aproveitou para comparar com a gestão passada. Afirmou que em oito meses foram inauguradas 60 UTIs, sendo que seu antecessor abriu somente 65 em cinco anos. “O que prova que a nossa administração está fazendo em pouco tempo, muito com menos e fazendo melhor”, provocou.

 

Educação

Para a reforma de escolas, Taques explica que foram liberados R$ 44 milhões. Destacou ainda ações no atendimento empresarial, assim como para geração de novos empregos. Lembrou que os jogos escolares também foram realizados na região Norte. “Fui eleito para quatro anos, e não oito meses”, lembra Taques.

 

 

 

Tarso Nunes

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário