14/09/2016 - Não vejo a hora de encontrá-lo no segundo turno, diz Wilson para Procurador Mauro

14/09/2016 - Não vejo a hora de encontrá-lo no segundo turno, diz Wilson para Procurador Mauro

Os seis candidatos a prefeito de Cuiabá se enfrentam pela segunda vez em um debate nesta terça-feira (13). Depois de um acalorado confronto durante a manhã, na Rádio CBN Cuiabá, Procurador Mauro (PSOL), Emanuel Pinheiro (PMDB), Wilson Santos (PSDB), Julier Sebastião (PDT), Serys Slhessarenko (PRB) e Renato Santtana (REDE) vão se enfrentar na sede da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT), a partir das 20h.

 

A iniciativa é fruto da campanha “Voto não tem preço, tem consequência”, e tem como meta dar oportunidade para os candidatos apresentar as propostas de campanha e debater os problemas de Cuiabá com a comunidade jurídica.

Com a aproximação das eleições, cada vez mais os debates ervem para acentuar a diferença e acirram os ânimos entre os candidatos, dando mais uma oportunidade de permitir ao eleitor escolher seu candidato.

Olhar Direto fará cobertura em tempo real do debate. Confira aqui:

22h13 - Julier agradece aos ouvintes e pede votos para mudar a cidade e para não deixar roubar dinheiro do saneamento. “Vamos incluir mulheres, jovens e negros”. Ele ainda afirma que não pode ser feito o discurso do “cavalo cansado” e que sua candidatura significa a esperança. 

22h12 - O próximo candidato a fazer as considerações finais é Wilson Santos. Ele afirma que é possível fazer uma Cuiabá melhor. Lembra ter quitado três folhas salariais de uma vez só quando foi prefeito, ter melhorado o IDH e outros avanços na gestão dele. Ainda cita ter uma posição diferente de Julier quanto a Pacenas e considera a operação como a causa de prejuízo. Ele pede para o eleitor não entrar em aventuras e loucuras de outros candidatos.

22h11 - Emanuel Pinheiro saúda os advogados presentes e diz que a categoria é essencial para Cuiabá na luta pelo direito. “Como operador do direito, numa chapa operadora do direito que quer fazer Cuiabá avançar mais, peço seu voto”, finaliza. 

22h09 - O candidato do REDE agradece ao debate e ao eleitor. Ele afirma, direcionado ao eleitor, que é necessário participar da política, não só a eleitoral. Reanto Santtana diz não prometer milagres e a salvação da pátria. Ainda pede voto para os vereadores.

22h08 - Nas considerações finais, Mauro retoma o direito de resposta concedido a Wilson e diz que não pretende implementar a tarifa zero de cara e diz que é possível mudar. Ele também pediu votos para os candidatos a vereador do Psol.

22h08 - A candidata do PRB inicia as considerações finais. Ela agradece o debate, afirma que sempre lutou pela ética e moralidade. Serys lembra ter enfrentado até a polícia para garantir o direito de moradia. “Eu quero cuidar de gente com a sensibilidade de mãe. Chega de mulheres chorando nas portas de creches”. O tempo termina antes dela concluir a ideia.

22h07 - Wilson Santos ganhou direito de resposta, o que gerou algumas vaias no auditório. Ele afirmou que não vê a hora de pegar o Procurador Mauro no segundo turno e lê trecho do plano de governo do Psol que defende redução da tarifa de ônibus rumo à tarifa zero.

22h04 - A candidata Serys agora perguntará a Wilson Santos. Ela retoma o assunto distribuição de água. Ela ressalta o fato de Wilson Santo ter sido prefeito por dois mandatos, não tendo resolvido o problema, e ainda deixa a Prefeitura nas mãos de Francisco Galindo (PTB), o qual privatizou a Sanecap. “A maior trairagem com a população”, classificou a candidata.

“Primeiro tem que fazer um cenário claro. É fácil fazer um diagnóstico simples assim. Parece que a senhora vai resolver o problema da água. Já ouvi essa história antes”, pontuou. De acordo com ele, Cuiabá precisa de R$ 800 milhões para universalizar os serviços de água e esgoto. Wilson ressalta ter construído a segunda maior estação de água, a qual perde apenas para uma construída pelo ex-governador Pedro Pedrossian.

Sery afirma que é possível retomar a Sanecap, os serviços de água, para o comando da Prefeitura e garantir a expansão dos serviços.

Já Wilson Santos afirma que quer ser candidato para evitar “aventuras” como a retomada da Sanecap. “Por isso sou candidato com pé no chão. A prefeitura não tem direito para isso”, finalizou.

22h00 - Procurador Mauro agora direciona sua pergunta para Serys. Ele promete fortalecer o controle interno para combater a corrupção. “Quais são as suas propostas no sentido de combate à corrupção?”, questiona.
 
A candidata se diz indignada com a corrupção. Ela lembra que foi autora da lei da delação premiada. “Já fui secretária de estado, já tive cargo executivo e sai de lá demitida e sem ninguém poder levantar um dedo contra mim”, afirma. Serys defende publicação de todos os recursos que entram e saem da Prefeitura. “O recurso público é sagrado e quem colocar a mão, o lugar é na cadeia”.
 
Na réplica, Mauro critica o portal da transparência e diz que enfrenta dificuldade para acessar informações da Prefeitura. O Procurados afirma que o uso de cabos eleitorais na administração pública são uma forma de corrupção. Serys completa a fala de Mauro dizendo que também enfrenta dificuldades para acessar as informações da administração municipal.

21h55 - Agora Julier obrigatoriamente faz sua pergunta ao candidato Procurador Mauro. Ele afirma que possui uma preocupação muito com a inclusão de mulheres no seu programa de governo. Segundo ele, nos últimos quatro anos de gestão as mulheres não tem sido reconhecidas como importante agentes de transformação e por isso o secretariado é compôs apenas por homens brancos, salvo a exceção do ex-secretário de Governo, Kleber Lima, negro.

Procurador Mauro inicia afirmando que Wlson Santos mentiu ao afirmar que o plano de governo dele previa tarifa zero, sendo na verdade redução gradativa. “Vejo que a máfia do ônibus está muito bem representada aqui”, asseverou. Ele ainda criticou a postura de Wilson Santos quando esteve a frente da prefeitura e fez uma licitação pouco transparente e vantajosa para os empresários do transporte público.

Respondendo a pergunta, a prática da inclusão das mulheres é cotidiana no PSOL. Segundo ele, nas executivas do partido 50% é composta por mulheres e ele tem a proposta de ocupar 50% das secretarias municipais com mulheres também.

Na réplica, Julier afirma ser fundamental a inclusão das mulheres e por isso escolhe Jusci Ribeiro (PT) como vice e garantiu a criação da Secretaria das Mulheres. E ele ainda afirma que juntará várias secretarias para não aumentar os números de pastas e afirmou garantir o empoderamento das mulheres.

21h52 - Emanuel Pinheiro agora pergunta para Julier Sebastião. Ele diz que os números do tratamento de esgoto em Cuiabá são desastrosos. O peemdebista cita duas rupturas no saneamento e lembra a Operação Pacenas, autorizada pelo então juiz federal que hoje concorre à prefeitura pelo PDT e quer saber por que o recurso do PAC travou naquela época.
 
Julier Sebastião diz que Cuiabá não tem saneamento hoje por conta de um longo período de ausência de serviços públicos nessa área. Ele lembra que Cuiabá receberia junto com Várzea Grande cerca de R$ 500 milhões para saneamento. Afirma que como juiz atendeu os pedidos do Ministério Público Federal e da Polícia Federal durante a operação de 2009. “Houve um desvio”, lembra Julier.
 
Emanuel afirma que a população cuiabana padece do direto básico de ter acesso à água. Ele critica a gestão da CAB. “Está mais do que na hora de Cuiabá ter um prefeito presente na vida das pessoas”. Na tréplica, Julier afirma que não deixará episódios se repetirem como o da operação Pacenas. E ironiza o fato de Emanuel, autor da pergunta, ter hoje o apoio de Chico Galindo, o ex-prefeito que concedeu o serviço de abastecimento de água e esgoto.

21h42 - Renato Santtana sorteou Emanuel Pinheiro e direciona a ele uma pergunta sobre transparência pública. Ele diz entender as agências reguladores como insuficientes para fiscalizar os serviços públicos porque elas não conseguem escutar os contribuintes.

Emanuel Pinheiro afirma que o preço da liberdade é a eterna vigilância. Segundo ele, um prefeito sozinho não faz nada e as agências reguladoras são criadas para fazer esse trabalho. Contudo, ele cita as críticas que fez contra a AGER por problemas nos seus serviços e enfatiza a necessidade de fortalezar essas agências. “Sozinho, eu e a agência reguladora não chegaremos a lugar nenhum”, comenta, para depois sugerir uma parceria com o Estado para a AGER prestar serviços à agência reguladora municipal, a AGER.

Na réplica, Renato Santtana afirma que sua candidatura é mensageira e leva ao cidadão o recado da necessidade da participação na política para resolver os problemas. “Se trazer o dinheiro do Bill Gates não iria solucionar os problemas”, afirma. Em seguida reforça a proposta do aplicativo.

Emanuel Pinheiro afirma que é preciso mesclar a democracia participativa com a representativa.

21h37 - Neste último bloco, os candidatos voltam a se perguntar. Agora haverá tréplica e as ordens serão escolhidas por sorteio.
 
Wilson Santos perguntará para Renato Santtana. Ele diz que Procurador Mauro quer estatizar tudo o que vê pela frente. “Como a Rede vê esse modelo estatizante?”
 
Santtana diz que a Rede é um partido novo e diz que tem orgulho de ser um dos fundadores do partido. Ele afirma que o século passado ficou marcado pela guerra fria, na divisão entre capitalistas e socialistas, mas que os tempos mudaram. Ele cita o problema da água para ilustrar que a solução não está na gestão ser pública ou provada. Renatto diz ainda que é impossível estatizar o transporte coletivo ou de água.
Wilson diz que os candidatos não podem vender utopias para os cuiabanos. Ele afirma que ano que vem a Prefeitura terá apenas R$ 70 mil para investimentos. O tucano ainda alega que não há recursos federais ou estaduais para investir em saneamento, mas garante que a CAB mnão fica em Cuiabá. Na tréplica, Santtana afirma que só apresenta propostas exeqüíveis.

21h31 - Serys ganha direito de resposta após Julier ter usado direito de resposta para fazer declarações injuriosas quanto a ela. A banca de advogados alerta que os candidatos que usarem o direito de resposta para ofender um concorrente terá os pedidos de resposta seguintes negados.

“Fico muito triste ao candidato Julier. Eu não menti. Eu tenho extratos que o Ministério Público Federal está com pedido de buscas de informações”. Ela ainda lembra que no caso da máfia dos Sanguessugas, tanto ela quanto o marqueteiro do candidato Emanuel Pinheiro, o ex-senador Antero Paes de Barros, foram alvos de caluniosas e provaram inocência. Ela ainda pede para o público para ler a revista Veja de 22 de junho de 2011, a qual esclareceria quem realmente esteve envolvido no caso.

21h23 - O último advogado a perguntar é Sérgio Ferreira de Oliveira. Primeiro ele ironiza as propostas apresentadas e diz que já estava de malas prontas para a Suíça, mas resolveu ficar em Cuiabá após ver os planos de governo. Ele questiona qual o projeto dos candidatos para a área rural de Cuiabá.

Emanuel Pinheiro afirma que Cuiabá tem um potencial enorme de hortifrutigranjeiro e agricultura familiar. O candidato defende políticas de fixação do homem no campo, dando estrutura para escoamento e linhas de créditos para o pequeno agricultor familiar. Segundo ele, as linhas de crédito eliminariam a figura do atravessador que explora o agricultor familiar.

21h20 - Agora a advogada Paula Toledo pergunta qual a proposta dos candidatos sobre o lixão da cidade, em especial se a coleta seletiva será implantada.

A candidata Serys é a sorteada para responder. Ela afirma que aterros sanitários são estão ultrapassados e causam dano ao meio ambiente. A filiada ao PRB quer anular a atual consulta prévia à empresas sobre um novo aterro, pois tem interesse em novas tecnologias, como a implantação de uma usina de plasma, a exemplo da de Milão, em Itália. Ela conta ter ingressado com uma solicitação para promotoria do Meio Ambiente para que seja impedida uma licitação nesse sentido. Ela também aposta na coleta seletiva.

21h18 - A advogada Ariadne Simões pergunta se o candidato tem propostas para acessibilidade.
 
Wilson Santos é o sorteado para responder e afirma que o Brasil tem 14% da população com alguma deficiência. Ele lembra que implementou ônibus com elevador e que chegar a 100% dos caros. Além disso, lembra que deixou um planejamento de calçadas na cidade. Ele sustenta que os deficientes também precisam de informações e promete ampliar o portal transparência. Wilson quer construir um centro de convivência de idoso na região oeste.   

21h15 - O terceiro a perguntar é Carlos Alberto Eilert, presidente do Conselho de Educação Física. Ele questiona como será feita a universalização da prática dos esportes para pessoas de todas as idades e deficientes, visto a falta de estrutura para isso.

Quem responde a pergunta é Renato Santana, definido por sorteio. “Nós queremos ter qualidade de vida e nossa cidade vem para discutir isso”, inicia a resposta. Para ele, esporta significa qualidade de vida e também pode ser uma resposta ao combate a violência. “Trazer nossos jovens para o esporte e quem sabe ter um atleta olímpico”, pontuou.

O candidata da REDE também afirma não ter um programa pronto e acabado, pois quer a participação popular, mas também planeja a prevenção de doença através do esporte.

21h12 - O advogado Rodrigo Palomares, presidente da Comissão do Direito ao Consumidor, pergunta qual a proposta para defender o consumidor cuiabano. Julier é o sorteado para responder. Ele afirma que a Prefeitura não tem órgão de controle para a relação de consumo, mas afirma que a Prefeitura tem condições de fiscalizar para que o cidadão tenha atendimento. Promete regulamentar toda a política publica da cidade nas relações de consumo privado e ao poder delegado. “Nós vamos fortalecer e estruturar os órgãos de controle do consumo em Cuiabá”.

21h09 - Neste bloco, participantes da plateia poderão fazer perguntas aos candidatos. O primeiro expectador a fazer uma questão é Elvis. Ele pergunta se algum dos candidatos utiliza o sistema único de saúde. Os sorteador para responder é Procurador Mauro.

O candidato afirma que todas os usuários tem pavor do atual sistema de saúde e que quem consegue um emprego, um convenio através do trabalho ou conseguir pagar, foge do SUS.

“Por isso nós propomos a ampliação do programa da saúde da família, do programa de saúde bucal”, disse. Ele ainda afirma que seguirá todas as obras do prefeito Mauro Mendes sobre a saúde, ao invés de como o Estado faz em relação às obras da Copa do Mundo. 

21h06 - Neste bloco, os candidatos responderão perguntas dos convidados.

21h05 - Começa o terceiro bloco do debate.
 
O mediador concede direito de resposta a Julier Sebastião e ele afirma que lamenta ver Serys jogar sua história no lixo. Ele afirma que ela está sendo injusta com ele, da mesma forma que ela mesmo foi injustiçada no passado. Ao final do direito de resposta, Serys é quem pede o direito de se responder.
 
20h58 - O último a perguntar é Renato, que perguntará obrigatoriamente a Julier. Ele afirma ter um projeto para empoderar as pessoas para todos poderem fiscalizar os serviços rpestados e termina questionando se Julier está satisfeito com as agências reguladoras.

Na resposta, Julier Ele lembra ter vontade de rescindir o contrato da CAB e não ser preocupado com a empresa privada. “Papel do município é zelar pelos cuiabanos”, asseverou. Segundo ele, o fato da Justiça já ter anulado o contrato com a CAB Cuiabá é prova do quanto a Arsec, responsável por regular os serviços de saneamento básico, não funciona. Ele ainda garante a efetividade dela em uma eventual gestão.

O candidato da Rede, na réplica, afirma que a agência reguladora não cumpre seu papel e que vai propor um aplicativo de celular para qualquer cidadão que efetivamente paga seus impostos ter o poder de dizer ser um serviço tem qualidade ou não tem qualidade. “Nós vamos estar empoderando o cidadão eleitor. É dessa forma que se faz controle social”, concluiu,.

20h54 - Agora sobrou para Wilson Santos a opção de perguntar para Renato Santana. Ele aborda o tema água e quer saber quais são as propostas para universalizar e dar qualidade à água cuiabana.
 
O candidato da Rede afirma que a Sanecap era uma empresa pública e não conseguiu entregar água nas torneiras e depois o serviço foi privatizado, mas também não melhorou. Santtana defende a implementação do inventário de carbono para arrecadar recursos que serão investidos em esgoto em Cuiabá. Ele cita o projeto águas do Pantanal que cuida do Rio Cuiabá como exemplo a ser seguido.

 

Wilson lembra que construiu a Eta Tijucal, a segunda maior estação de tratamento da cidade. “A Eta é uma realidade, ela abastece 120 mil pessoas desta cidade”. Ele lembra que fez a obra com parcerias e defende que o prefeito busque outras fontes de recursos para investir na cidade.

20h51 - A candidata Serys pergunta para Wilson Santos. Ela lembra que o candidato Julier afirmou no debate da CBN não responde a nenhum processo porque a enuncia contra ele foi anulada, mas ela afirmou que teve acesso a Justiça Federal e descobriu investigações contra o pedetista sobre lavagem de dinheiro. Ela pergunta a Wilson o que ele acha da postura de Julier.



O candidato Wilson Santos afirma que essa pergunta não era para ele e que veio louco para falar sobre regularização fundiária, cultura, saúde. Por fim, ele afirma que em vários momentos o Brasil viveu momentos de exceção e não se podia sabatinar os candidatos, como está sendo feito. “Então é importante que o cidadão conheça quem quer administrar o município”, pontuou. No entanto, relembra que ele mesmo responde a vários processos e que já foi inocentados em alguns e espera ser absolvido em todos. Por outro lado, citou ser importante não esconder ser alvo de investigação.

“Eu tenho extrato de consulta feita na Justiça Federal. Eu acredito que o candidato Julier não precisar negar que está sendo investigado. Está sendo investigado? Pode ser absolvido. Mas eu sempre lutei pela verdade”, argumentou Serys. Então ela cita ser autora da lei anticorrupção, a qual possui a delação premiada dentro do pacote.

20h45 - Agora Procurador Mauro escolhe Serys. Ele questiona a candidata sobre como ela pretende fazer a gestão ouvindo a população.
 
Ela afirma que não pretende fazer “escarcéu” com auditorias, apenas se for encontradas irregularidades. “Ai sim conclamaremos a sociedade para que venha junto conosco detectar quais são os problemas”. Serys defende uma conferencia municipal de educação para ver o que precisa melhorar. “Vinte e três mil crianças precisam de creche”, ilustra. “Acredito sim na participação popular”.

 

Procurador Mauro rebate dizendo que considera importante trazer a população para a questão do transporte coletivo. Ele afirma que existe uma “caixa preta” no setor e critica o valor alto da tarifa.

20h42 - Emanuel Pinheiro escolher perguntar para o Procurador Mauro e questiona se o filiado do PSOL sabe quanto custaria para estatizar o transporte público e a municipalização da CAB.

Candidato Emanuel, temos a nossa proposta de municipalização de diversos trabalho porque a população tem sentido que as privatizações não deram certo. Ele cita o fato da CAB estar sob intervenção após uma licitação feita de maneira pouco transparente. Mauro de Lara cita que o relatório da intervenção demonstra um faturamento de R$ 16 milhões mensais e os diretores receberam R$ 35 milhões em quatro anos. “Com a retomada, o município retoma também a arrecadação das tarifas”, pontua.



Por sua vez, Emanuel Pinheiro usa réplica para dizer que um ônibus em meia vida custa R$ 200 mil e para frota completa seriam necessários R$ 80 milhões, fora insumos e pessoal. “É humanamente possível o município assumir o transporte público”, pontuou. O peemedebista ainda afirma que seriam necessários R$ 400 milhões para a Prefeitura de Cuiabá universalizar o saneamento básico.

20h38 - Por sorteio, o primeiro a perguntar é Julier Sebastião. Ele escolhe como alvo Emanuel Pinheiro. 

O pedetista cita a violência urbana como um dos graves problemas de Cuiabá. Ele cita a participação de crianças e adolescentes neste contexto. “Gostaríamos de saber o que o senhor pretende fazer com os conselhos tutelares”.



Emanuel Pinheiro diz que é signatário da carta de compromisso político que estabelece 12 compromissos para acolhimento, tratamento e inserção de crianças vítimas de drogas e álcool. Ele cita que se compromete ser um gestor que irá fortalecer os conselheiros e irá priorizar ações para a população infanto-juvenil. Ele afirma que Cuiabá precisa de mais CRAS.  

Na réplica, Julier afirma que irá criar uma secretaria municipal de direitos humanos, que agirá com foco para garantir direitos das crianças e adolescentes. Ele defende o papel dos conselhos tutelares e promete eleições limpas e transparentes de conselheiros. Além disso, promete garantir boa estrutura nos conselhos. 

20h32 - No segundo bloco o mediador sorteia um candidato para fazer uma pergunta de tema livre. O candidato escolhe para quem perguntar. Quem respondeu escolhe alguém que não foi questionado até que todos sejam perguntados. Neste bloco só há resposta e réplica, sem tréplica.

20h30 - No auditório das OAB cabem 250 pessoas

20h27 - A última candidata a responder é a ex-senadora Serys Slhessarenko (PRB). Ela afirma que com relação às obras da Copa e à divida, irá usar sua força política para achar saídas. Ela promete reduzir o imposto ISS para aumentar a arrecadação. Ela explica que reduzirá de maneira gradativa, em um primeiro momento ajudando empresas com jovens aprendizes e pessoas com deficiência. Ela cita o exemplo de Barueri que com um terço da população de Cuiabá arrecada três vezes mais que a capital mato-grossense.

20h26 - O líder das pesquisas, Procurador Mauro, é o quinto a explanar. Ele afirma que a candidatura tem compromisso muito forte de romper com as políticas antigas. Para ele, o governo do Estado tem extrema má vontade de concluir com as obras da Copa por terem sido iniciadas por outra gestão, da qual fazia oposição, e cita que terá uma posição diferente, de concluir as obras de outra administração. Segundo ele, é preciso concluir as obras e punir os culpados pelos erros passados. O Procurador Mauro ainda afirma ser contra a visão de crise total, se ser impossível fazer mais com os recursos existentes. Por fim, o candidato do PSOL cita o incremente da arrecadação como um índice positivo.

20h24 - Renato Santtana responde na sequência que sua candidatura pressupõe romper com o século XX, um século que fez muitas promessas mas não as entregou. “Nossa candidatura não promete nenhum milagre”, garantiu. Ele afirma que seu partido é de diálogo e que vai chamar todos os poderes para concluir as obras da Copa. “Não podemos rasgar o dinheiro do contribuinte”. 

20h23 - O terceiro a ter a oportunidade de discorrer sobre o assunto é Emanuel Pinheiro. Ele afirma que é preciso de um choque de gestão sobre as obras da Copa do Mundo. De acordo com ele, apesar e ser um “problema do Estado”, o prefeito como líder da cidade precisa atuar fortemente. “Não pode achar normal que dois anos após a Copa as Obras não foram concluídas”, comenta. De acordo com ele, os responsáveis pelos problemas da gestão passada que iniciaram as obras precisam pagar com o rigor da lei, mas a população não pode ser penalizada. Por fim, cita aproximação com o governo federal.

20h22 - O candidato tucano afirma que a grande expectativa é aumentar a capacidade de investimento nos próximos anos. Ele afirma que Cuiabá tem um orçamento de R$ 2 bilhões e apenas 3% desse bolo de capacidade para investimento. “Como é que o muncípio consegue gastar 97% de tudo que arrecada para dentro?”, questiona. Segundo ele, o maior desafio do prefeito é recuperar a capacidade de investimento. “Precisamos renegociar essa dívida e baixar os indexadores. você paga e a dívida não baixa”. Sobre as obras da copa, ressaltou que são de responsabilidade do governo do Estado e cabe ao prefeito apenas cobrar a conclusão.

20h19: Primeiro a responder a pergunta geral, Julier afirma que a pergunta do presidente da OAB tem a ver com o que ele pensa para Cuiabá no século XXI. Inverter a lógica dos primeiros 300 anos de Cuiabá: inverter as prioridades da Prefeitura, fazendo com que os menos favorecidos no sentido econômico e social, sejam a prioridade da Capital. “Cidade moderna de 300 anos é ser cidade inclusive”. 

20h18 - O presidente da OAB, Leonardo Campos, faz a primeira pergunta que será respondida por todos os candidatos. Ele destaca a importância do argumento, tanto na profissão de advogado quanto na campanha eleitoral.
 
Leonardo afirma que vivemos na Cuiabá pós-copa e em um cenário de crise econômica. Ele questiona como os candidatos irão, caso eleitos, tocar as obras do mundial e como cada um pretende colocar o plano de governo em prática em meio à escassez de recursos públicos. 

20h13 - No debate na CBN, Julier perguntou a Emanuel Pinheiro sobre matéria veiculada na Revista Veja na segunda-feira (12) a respeito do caso das “esmeraldas falsas”, que remonta ao ano de 1991, mas até hoje está judicialmente pendente. Já Emanuel lembrou o fato de Julier ter tido a residência e o escritório alvos de busca e apreensão da Polícia Federal na segunda fase da Operação Ararath, apesar da ação ter sido anulada mais tarde.

20h11 - Começa o debate. Os seis candidatos estão presentes. No primeiro bloco, todos os participantes respondem perguntas da OAB. Na segunda etapa, os candidatos começam a se revezar nas perguntas com reposta e réplica, sem tréplica. No terceito bloco os candidatos respondem perguntas da plateia e no quarto bloco os candidatos voltam a trocar perguntas, nesta etapa com tréplica antes das considerações finais. 

20h10: O candidato do PSDB, Wilson Santos, reforçou que continuará com uma postura de se amnter fora dos embates durante os debates. Ele tem deixado para outros candidatos os momento de troca de farpas, em especial para Julier e Emanuel Pinheiro.

“Estou tranquilo. Experiência. Seguro do que falamos. Uma vida pública e uma história longa. Fui assim no debate da gazeta, fui assim na UFMT, fui assim na CBN e vou ser assim o tempo todo. Um candidato equilibrado que só vai propor aqui que sabe que tem condições de realizar. Não vou entrar em baixaria, não vou fazer provocação e quando provocado vou responder de forma propositiva”, ponderou. 

20h09 - O mediador do debate é o jornalista da TVAL - Anderson Sartori.

20h07 - Apenas credenciados estão presentes. Cinco membros da equipe de cada candidato e um familiar foram autorizados a participar. Além deles, estão no local membros da diretoria da OAB, advogados e estagiários com inscrição na Ordem que fizeram credenciamento

20h06 - Os advogados Hélio Ramos, José do Patrocínio e Ulisses Rabaneda compõem o grupo que decide sobre os direitos de resposta. 

20h02: Na chegada a OAB, o candidato do PMDB, Emanuel Pinheiro, afirmou que espera um debate sem baixarias e com respeito a população. Ele preferiu não comentar os momentos ácidos entre ele e Julier Sebastião (PDT), quando relembraram momentos polêmicos da vida um do outro.

“Já teve o momento do debate. É página virada. Respondi naquele momento. E ele [Julier] deve responder por ele”, afirmou o peemedebista. [A expectativa é de um debate] democrático, de alto nível e com respeito a população. Foco é sociedade cuiabana, a população cuiabana. Ela não quer bate boca, não quer baixaria", afirmou o peemedebista.

19h59: Ao chegar na OAB-MT, o candidato Julier Sebastião avaliou que o encontro desta noite deve ter o mesmo tom do realizado mais cedo. "Debate é debate", resumiu. Ele ainda negou que estivesse nervoso no debate da Rádio CBN, como acusaram os adversários Wilson Santos e Emanuel Pinheiro. "Ninguém estava nervoso, nervoso é quem tem contas a prestar".

19h55: No primeiro debate do dia, na CBN, os candidatos entraram em vários momentos de confronto acalorados. Em sete momentos os candidatos sentiram sua honra atacada e solicitaram a chance de defesa. Apenas dois foram concedidos. Logo na primeira troca de perguntas entre candidatos, envolvendo Renato Santtana e Julier Sebastião, houve provocações.

O filiado a REDE foi acusado de ser laranja pelo pedetista e ganhou um direito de resposta no qual afirmou que ingressará com ação judicial contra Julier.

Da Reportagem Local - Laíse Lucatelli/ Da Redação - Jardel P. Arruda e Lucas Bólico