14/10/2015 - Primeira-dama do estado dá o exemplo e se cadastra como doadora de medula em campanha que começa hoje

A primeira-dama do estado, Samira Martins, foi uma das primeiras a se cadastrar como possível doadora de medula óssea na campanha ‘Compartilhe Medula Óssea’, que começou nesta terça (13) em Cuiabá. 

No começo do mês de outubro a Secretaria Municipal de Saúde de Rondonópolis começou a campanha, que teve cerca de sete mil cadastros em apenas dois dias. Desta vez, os cadastros acontecem na capital. 

“Estar no banco de dados do REDOME [Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea] significa poder salvar uma vida. Quem precisa de doação de medula óssea conta com o próximo para continuar vivendo. É impossível ficar indiferente a essa causa sabendo que doando apenas 5ml de sangue eu posso mudar a vida de alguém”, declarou Samira, após seu cadastro.

A campanha é organizada pelo Instituto Maria Stella com apoio do Núcleo de Ações Voluntárias e Secretaria de Estado de Saúde, e quem quiser participar deve comparecer ao Hemocentro do Estado, na capital, localizado à Rua 13 de Junho, com um documento pessoal com foto, ter entre 18 e 55 anos, apresentar bom estado geral de saúde e não possuir doença infecciosa transmitida pelo sangue, até dia 23 de outubro. 

Doação

Para se cadastrar como doador de medula óssea é necessário tirar apenas 5ml de sangue. Apesar do processo ‘simples’, ele pode salvar vidas de pessoas que sofrem com doenças do sangue e não possuem um doador compatível dentro da família. 

A chance de encontrar um doador de medula óssea compatível é de uma em cem mil. O número de doadores voluntários aumentou expressivamente nos últimos anos, passando de doze mil em 2000 para mais de quatro milhões atualmente. 

Hoje o Brasil tem o terceiro maior banco de dados do gênero no mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos (quase 7 milhões de doadores) e da Alemanha (quase 5 milhões de doadores). 

 

 

 

Da Redação - Isabela Mercuri

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário