14/10/2015 - Governo e Marinha querem aumentar escoamento de cargas pelo rio Paraguai

A condição das estradas mato-grossenses  é um dos principais problemas de logística enfrentados pelos produtores em Mato Grosso. Tal cenário encarece os custos da produção e inibe a expansão da produtividade do setor. Para reduzir essa limitação de escoamento e assim desafogar o modal rodoviário mato-grossense, o Governo do Estado e a Marinha querem aumentar o volume de transporte de cargas pela hidrovia do rio Paraguai, trecho entre Cáceres a Corumbá (MS). Todo ano seis milhões de toneladas de cargas passam pela hidrovia. O volume é considerado baixo devido a potencialidade hídrica do rio.

 

Para dar efetividade a essa possibilidade está em andamento um estudo feito por técnicos do Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura (ITTI), da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Eles estão avaliando as condições de navegação do trecho de 700 km de hidrovia, que liga Cáceres a Corumbá. “A hidrovia do rio Paraguai é uma das que oferece as melhores condições de navegação no país. São mais de três mil quilômetros ligando Brasil, Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai, e sendo assim é uma hidrovia que precisa ser sim melhor explorada, mas de forma sustentável, respeitando as questões ambientais” comentou o governador Pedro Taques que nesta manhã (13.10) conheceu a sede da delegacia fluvial da Marinha, em Cuiabá.

 

Na visita, o governador foi informado pelo contra-almirante Petrônio  de Aguiar, que três cidades ao norte do Estado - Sinop, Juruena e Alta Floresta - vão abrigar as novas sedes da Marinha. Os motivos para a instalação desses novos pontos são a atual ausência do órgão no norte do Estado e também o aumento na construção de hidrelétricas na região. “Onde tem hidrelétrica, tem lago e onde tem lago, tem barco navegando. E nós precisamos estar lá”, explicou o comandante.

 

As áreas dessas novas sedes já estão garantidas, e a construção desses novos espaços está orçada em R$ 15 milhões. Para conquistar esse montante, o contra-almirante solicitou que o Governo do Estado interceda junto aos deputados estaduais o envio de recursos por meio de emendas parlamentares. Para intermediar esse assunto, o governador levará o pedido aos líderes de bancada para sensibilizar os deputados quanto à importância de se ter na região pontos de apoio da Marinha. 

http://www.secom.mt.gov.br//storage/1/webdisco/2015/10/13/374x280/5b930ce3f134a15a38524920a37e5c34.jpg


Durante a visita do governador à sede da delegacia fluvial da Marinha, foi dado o pontapé inicial para a realização de uma parceria entre a instituição e a Secretaria de Saúde do Estado (SES). A parceria permitirá levar atendimento médicos aos ribeirinhos no trajeto rio Paraguai em Mato Grosso.

 
De acordo com o contra-almirante Petronio Aguiar, a Marinha se propõe a disponibilizar um navio, arcaria com os gastos de deslocamento e a equipe médica- clínicos gerais, farmacêuticos e dentistas. Já o Governo do Estado ficaria com a doação de insumos, como remédios, ataduras, etc, e a definição das localidade que precisarão do atendimento. “Nós já fazemos esse trabalho por aqui, mas com menor abrangência. Queremos expandir mais e por isso pedimos o apoio do Estado”, acrescenta o contra-almirante. Em resposta a esse pedido de parceria, o governador adiantou que o Estado está aberto a realizar essa ação social junto a Marinha e que esse assunto passa a ser tratado com a Casa Militar. 


Iluminação do Rio Cuiabá 

Está em andamento pela Marinha, em parceria com o Estado, a elaboração de um projeto para revitalizar as margens do rio Cuiabá. Em um trecho aproximado de 15 quilômetros, iniciando na ponte Mário Andreazza, passando pela ponte Sérgio Motta, e finalizando na comunidade do São Gonçalo-Beira Rio, o projeto prevê a instalação de iluminação especial para facilitar a visão noturna. A intenção é não somente facilitar a navegação, como construir pontos de paradas para a população conhecer as margens do mais importante rio da Capital. 

 

 

 

Luciana Cury
Redação/Gcom-MT

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário