14/11/2015 - Estado convoca 1,3 mil policiais aprovados em concurso

Os 1.340 candidatos do concurso público da Polícia Militar foram convocados, nesta quinta-feira (12.11), para tomar posse no cargo de aluno soldado no dia 16 de novembro, para então iniciarem o Curso de Formação de Soldados. O edital de convocação foi publicado no Diário Oficial do Estado que circula nesta quinta.

Ao todo são 600 candidatos aprovados e 740 do cadastro de reserva. A apresentação dos convocados deverá ocorrer às 8 horas do dia 16 de novembro na sede dos polos de ensino, conforme Ata de Ativação e Distribuição pública em Boletim Geral Eletrônico n° 1363, de 29/10/15. 

A convocação dos 1.340 candidatos faz parte do programa de recomposição do efetivo da Segurança Pública e também é uma das metas do novo acordo de resultados assinado pelo secretário Mauro Zaque, como compromisso de Governo. 

Pelo programa, a Segurança Pública já incluiu 147 novos soldados do Corpo de Bombeiros e mais 300 alunos soldados que estão em Curso de Formação. Outros 450 investigadores e 150 escrivães da Polícia Judiciária Civil terminaram o Curso de Formação e já foram distribuídos nas delegacias de polícia do Estado. Mais 484 candidatos do cadastro de reserva para os cargos de investigador e escrivão estão em fase final do Curso de Formação na Acadepol. 

A inclusão mais recente aconteceu no final do mês de agosto deste ano, com a formatura de 612 novos soldados da Polícia Militar, que já estão atuando nos quartéis da Polícia Militar em Mato Grosso. Tal inclusão possibilitou o aumento expressivo do número de policiais nas ruas realizando o policiamento ostensivo em todo Estado. 

A convocação para início do Curso de Formação dos 1.340 candidatos aprovados e classificados do concurso da Polícia Militar aumentará o efetivo das forças de Segurança Pública em 3.490 novos policiais civis, militares e bombeiros, representando a maior convocação policial da história da Segurança Pública de Mato Grosso. 

De acordo com o secretário Executivo de Segurança Pública, Fábio Galindo Silvestre, a premissa da elaboração de uma política pública verdadeiramente democrática e técnica é, ao mesmo tempo, ouvir a população e elaborar um diagnóstico situacional para a tomada de decisão nesse cenário. “Nesse sentido, foi elencada como prioridade número um da população e também apontada nos estudos, que o principal gargalo da segurança era o déficit de policiais nas ruas. Portanto, toda nossa energia foi canalizada para reverter este quadro”, comentou. 

O secretário de Segurança Pública, Mauro Zaque, destacou a situação caótica que a atual gestão herdou em relação ao quadro de efetivo das polícias, bombeiros e Politec. “Quando assumimos, a Polícia Militar contava apenas com 40% do seu quadro considerado ideal. A Polícia Judiciária Civil com 42%; o Corpo de Bombeiros com 24% e a Politec com 50%”, lembrou. 

“Por isso, mesmo com todas as contingências orçamentárias do Estado, e cientes do quadro crônico do estouro do limite da Lei de Responsabilidade Fiscal, colocamos em prática um ousado plano de recomposição e incremento de efetivo e, até agora, já somamos 3.490 novos policiais civis, militares e bombeiros”, enfatizou Zaque.  

 

Folha Max

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário