14/11/2017 - PF encontra pó branco e ecstasy em apartamento de deputado

14/11/2017 - PF encontra pó branco e ecstasy em apartamento de deputado

Durante cumprimento de mandado de busca e apreensão expedido pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), a Polícia Federal encontrou um pequeno saco plástico contendo pó branco e oito comprimidos de ecstasy de várias formas e cores dentro de um cofre eletrônico, em um apartamento localizado no bairro Jardim das Américas, em Cuiabá. O imóvel pertence ao deputado estadual José Domingos Fraga (PSD), um dos alvos da operação Malebolge (12ª fase da operação Ararath), deflagrada no dia 14 de setembro.

 

Também foram encontradas joias das marcas Vivara e Tiffany e Co, folhas de cheque em branco e no valor total de R$ 361 mil e documentos.

Para abrir o cofre, as duas policiais federais que cumpriam o mandado tiveram que chamar um chaveiro também da Polícia Federal, uma vez que o deputado não compareceu ao local. O chaveiro tentou abrir o cofre sem danificá-lo, mas sem sucesso. Na sequência, foi necessário forçar a fechadura do cofre para abri-lo. 

Consta no termo circunstanciado de abertura do cofre que José Domingos Fraga não compareceu ao ato e se recusou a receber a notificação porque, segundo ele, não é parte interessada no assunto, uma vez que quem reside no imóvel vasculhado pela Polícia Federal é a ex-mulher dele, Itamara Cenci, de quem se separou há mais de seis anos. Por esta razão, o parlamentar afirmou à PF que “não teria interesse e muito menos motivo para acompanhar a abertura de um objeto que não seria seu”.

Reprodução

As informações foram prestadas pelo delegado da PF Wilson Rodrigues de Souza Filho ao ministro Luiz Fux por meio de um ofício, recebido no STF em outubro.

Juntamente com o ofício, o delegado encaminhou ao ministro cópias do auto de apreensão, do auto circunstanciado de abertura do cofre e do laudo preliminar que constatou que os comprimidos se tratavam da substância psicotrópica.

Conforme o documento obtido pelo Gazeta Digital, o laudo “deu resultado positivo para a substância MDMA, popularmente conhecida como ecstasy”. O restante do material foi encaminhado ao Instituto Nacional de Criminalística para elaboração do laudo definitivo, conforme a PF.

Operação Malebolge - Ainda na operação deflagrada após delações feitas pelo ex-governador Silval Barbosa (PMDB), que apontou a existência de um “mensalinho”, ou seja de pagamento de propina mensal para deputados em troca de apoio e ausência de fiscalização em seu governo – esquema de corrupção do qual Fraga é acusado de participar -, a Polícia Federal também esteve na residência dele em Sorriso, onde o parlamentar também não foi encontrado e, por isso, foi necessária a presença de um chaveiro para garantir a entrada dos agentes.

Fraga aparece em um vídeo (gravado quando Silval ainda era governador e que foi entregue à Justiça) recebendo maços de dinheiro do então chefe de gabinete Sílvio Cézar Corrêa Araújo, na sala deste, no Palácio Paiaguás.

Outro lado - A reportagem telefonou para o deputado, mas não obteve sucesso. A assessoria de imprensa dele informou que Fraga não vai se manifestar sobre a apeensão realizada no apartamento que está em seu nome porque quem mora lá é a ex-mulher dele, de quem se separou há anos e com quem não tem contato e não responde pelos atos. A resportagem não conseguiu localizar a ex-mulher do parlamentar, Itamara Cenci.

Reprodução
Reprodução
Reprodução
Reprodução
Reprodução

Celly Silva, repórter do GD

 
 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário