15/03/2016 - Ex-secretário Nadaf preso por extorsão teria pago R$ 100 mil para não ser denunciado por jornalistas

15/03/2016 - Ex-secretário Nadaf preso por extorsão teria pago R$ 100 mil para não ser denunciado por jornalistas

O ex-secretário da Casa Civil, de Indústria e Comércio, Pedro Nadaf, é uma das vítimas de extorsão promovida, suspostamente, por cinco jornalistas que foram presos durante o fim de semana na operação ‘Liberdade e Extorsão, deflagrada pela  Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração. Nadaf, teria pago a quantia de R$ 100 mil para evitar  ser denunciado.

Nadaf foi preso em setembro do ano passado, durante a operação Sodoma, e responde judicialmente por crime de extorsão ao empresário João Rosa em um esquema de venda de concessão de incentivos fiscais, no valor de R$ 2,5 milhões. 

De acordo com a investigação da  Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), ele  pagou a quantia em três cheques. Dois deles, no valor de R$ 30 mil (perfazendo total de R$ 60 mil), e ainda um terceiro, no valor de R$ 40 mil.

Em busca de detalhes sobre a negociata, o ex-secretário Nadaf - que está preso no Centro de Custódia de Cuiabá - será ouvido ainda nesta semana, possivelmente entre quarta ou quinta-feira, para esclarecimentos do caso. 

A Delegacia Fazendária confirmou ainda que o jornalista Antônio Peres Pacheco e o auditor  fiscal Walmir Corrêa, da Prefeitura de Cuiabá , presos na operação policial, serão ouvidos na terça-feira, 15.  Ambos foram encarcerados por prisão temporária de cinco dias.  Segundo a Polícia, já existem elementos que ligam  Peres a um dos crimes de extorsão.

A assessoria da Polícia Civil confirmou que diligências ainda são realizadas na data de hoje, 14. Não se descarta  que novas vítimas apareçam no trâmite da investigação.

Entenda:

No sábado, 12, pela manhã, quatro jornalistas do Grupo "Milas Comunicação", que administram os veículos de comunicação Centro Oeste Popular, Notícias Max e Brasil Notícias, foram presos por mandados de prisão preventiva. São eles: Antônio Carlos Milas de Oliveira, dono do Jornal Centro Oeste Popular, seus filhos Max Feitosa Milas, dono do Notícia Max, e Maycon Feitosa Milas. Também está preso por prisão preventiva, o editor chefe do Brasil Notícias, com sede em Brasília, no Distrito Federal, Naedson Martins da Silva. O jornalista, Antônio Peres Pacheco, também foi preso.

 Para a Polícia, os cincos jornalistas estão envolvidos em coação e extorsão de pessoas, principalmente agentes políticos importantes, empresários com contratos no poder público, os quais foram obrigados a pagar quantias vultosas, entre R$ 100 a 300 mil. 

Nadaf 

No total, Pedro Nadaf possui três prisões preventivas decretadas. A primeira na operação Sodoma (15 de setembro) por fraude em incentivos fiscais. Já em 1º de feveiro, na operação Seven, no decreto de prisão por um esquema de venda e  recompra de uma área em Manso  para o Estado que gerou prejuízos da ordem de R$ 7 milhões. Na última sexta-feira, 11, novo decreto, dessa vez, a ordem de prisão deu-se em razão da operação Sodoma 2, que teve início com documentos apreendidos na primeira fase da ação e que mostram que cheques empregados o esquema de extorsão quitaram parte da venda de um terreno de R$ 13 milhões. 

 

 

 

Da Redação - Patrícia Neves

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário