15/04/2011 - 10h:10 Pai é espancado por vizinhos e preso, após estuprar filha de 8 anos

Um homem foi preso, na tarde desta quinta-feira, em Vilar dos Teles, São João de Meriti, na Baixada Fluminense, por ter estuprado a própria filha, uma menina de 8 anos. Roberto Mesquita da Silva, de 38 anos, já havia cumprido pena de sete anos pelo mesmo crime. Em 1997 ele estuprou duas enteadas, na época, com 6 e 9 anos.

Segundo o delegado adjunto da 54ª DP (Belford Roxo) Antônio Silvino, o estupro aconteceu na quarta-feira de tarde. A mãe da menina trabalha de dia e Roberto é vigia à noite. No dia do crime, a criança ficou em casa porque não houve aula na escola em que estuda. Quando a mãe chegou em casa, a menina estava sozinha e chorando.

- Ela disse para a mãe que sua vagina estava doendo. A mãe então a levou até o banheiro porque achou que eram dificuldades para urinar e viu que a vagina da criança estava sangrando. Ela então perguntou para a criança o que houve e descobriu que o pai havia cometido o estupro - disse o delegado.

A mãe como sabia do histórico do marido, esperou o dia amanhecer para chamar a polícia. Porém, Roberto ligou para casa diversas vezes perguntando se a polícia tinha ido ao local o procurar. Quando chegou em casa, na quinta-feira pela manhã, ele ameaçou a mulher.

O vigia pegou um facão, tomou o telefone celular da esposa e ficou sentado ao lado do telefone fixo. De acordo com o delegado Silvino, Roberto falava que ia matar a mulher caso ela o deixasse. Por volta das 14h, a mulher conseguiu sair de casa. Uma de suas cunhadas já sabia da história e havia contado para a vizinhança. Alguns populares ao verem que mãe e filha estavam bem, espancaram Roberto. As agressões só terminaram depois que os policiais do 21º BPM (São João de Meriti) chegaram ao local e levaram o criminoso para a delegacia.

Em depoimento, a menina contou que o pai já havia tentado a estuprar outras vezes, mas não havia conseguido. Em 1997, Roberto estuprou duas enteadas que tinham 6 e 9 anos. Por esse crime ele ficou preso sete anos. O criminoso responderá por estupro de vulnerável novamente.

 

O Globo