15/05/2014 - Leste de Mato Grosso apresenta mudança gradativa da pecuária para a agricultura

Termina nesta sexta-feira (9 de maio), o Circuito Tecnológico / Etapa Milho, que tem percorrido o interior do Mato Grosso conferindo como está a segunda safra desta cultura. O estado é o maior produtor nacional de milho e tem na segunda safra, a antiga “safrinha de milho”, importante atividade econômica. São quatro equipes visitando produtores rurais do Norte, do Sul, do Leste e do Oeste mato-grossenses. No Leste, estão Miguel Gontijo Neto, da Embrapa Milho e Sorgo, Carlos Bolzan, da Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso), e Tainá França, do Imea (Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária).

Depois de passarem por propriedades de Nova Xavantina, Água Boa e Canarana na segunda (5 de maio) e na terça (6), nestas quarta (7 de maio) e quinta (8), eles visitaram produtores de Querência, Bom Jesus do Araguaia e Gaúcha do Norte. Através de um questionário e de uma avaliação técnica das lavouras, é realizado um levantamento sobre a segunda safra de milho. A receptividade ao trabalho, por parte dos produtores rurais, tem sido bastante positiva.

Na região, o pesquisador Miguel Gontijo Neto, da Embrapa, observa que tem havido uma mudança na atividade rural. Antes fortemente caracterizado pela pecuária, o Leste mato-grossense tem adotado cada vez mais a atividade agrícola. Prova disso é a extensa área cultivada com soja na região durante a safra tradicional.

Quanto ao plantio da soja na safra tradicional e do milho na segunda safra, o pesquisador considera que há uma grande diferença. A situação tem sido constatada nestes dias, durante as visitas, quando produtores relatam seus números e quando fica fácil perceber, no campo, que a área de milho segunda safra é muito inferior à reservada à soja meses antes. Em grande parte da área, os produtores do Leste de Mato Grosso plantaram culturas como milheto e crotalária.

Nesta sexta, a equipe responsável pelo Leste de Mato Grosso percorrerá a região de Paranatinga. De lá, retornará a Cuiabá, para onde deverão ir também as outras três equipes do Circuito Tecnológico / Etapa Milho. Em cada uma, há um pesquisador da Embrapa: Alexandre Ferreira da Silva no Norte; Álvaro Vilela de Resende no Sul; e Rafael Major Pitta no Oeste do estado.

 

Escrito por Clenio Araújo

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário