15/05/2015 - “MT Integrado foi mal planejado e vai custar mais de R$ 1 bilhão”

O secretário de Infraestrutura, Marcelo Duarte, afirmou que a execução do programa MT Integrado – que prevê a interligação de todos os municípios de Mato Grosso com pelo menos uma rodovia pavimentada – irá onerar os cofres do Estado em pelo menos R$ 1 bilhão. 

Isso ocorre, segundo ele, porque, ao realizar financiamento de R$ 1,5 bilhão junto ao BNDES para a execução do programa, a gestão passada não incluiu no projeto a construção de pontes, por exemplo. 

Além disso, não estão inseridos nesse montante os recursos necessários para os reajustes contratuais e aditivos que encarecem as obras. 

“As coisas foram mal planejadas. Hoje, temos um programa que vai onerar os cofres do Estado em quase R$ 1 bilhão”, afirmou o secretário, na manhã desta quinta-feira, durante entrevista ao programa "Primeira Página", da Rádio Centro América. 

“Nenhuma construção de ponte, nem os aditivos, nem os serviços complementares estão previstos para serem pagos com os recursos do BNDES”, completou ele. 

De acordo com Duarte, somente para execução das pontes nas 46 rodovias previstas no programa são necessários R$ 200 mil, além dos valores já financiados. 

São necessários, também, cerca de R$ 100 milhões ao ano para pagamentos das gerenciadoras e supervisoras das obras, além de demais serviços complementares. 

“Estive no Estado de Goiás e vi que lá eles pegaram a mesma linha de crédito e colocaram todos os serviços, de modo que o BNDES paga tudo. Aqui isso não ocorreu. Acho que contaram que o dinheiro das pontes, por exemplo, viria de outro lugar. Quer dizer, o programa foi mal feito”, afirmou o secretário. 

Prazos 

Duarte a entrevista, Marcelo Duarte lembrou que, das 46 obras lançadas pela gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), apenas uma foi entregue.

Desde o início do ano, os contratos passam por auditorias e, segundo ele, neste mês, já foram lançadas as ordem de reinício de serviços de metade das obras que ainda precisam ser realizadas. 

As demais ainda são objeto de análises e readequações contratuais.

“Essa é a realidade do MT Integrado. Vamos tocar o programa, talvez com um horizonte de tempo um pouco maior que gostaríamos, o que ocorreu por conta do mal planejamento”, completou o secretário. 

2 mil km de rodovias 

O programa MT Integrado foi lançado pela gestão passada, sob o comando do ex-governador Silval Barbosa, com objetivo de interligar todos os municípios mato-grossenses, com pelo menos uma rodovia pavimentada. 

Era era apontado como um dos principais programas da gestão anterior e tinha como meta a pavimentação de dois mil quilômetros de rodovias. 

Contudo, apenas uma obra foi entregue durante o governo passado. Trata-se de um trecho de apenas 20 quilômetros, que liga o município de Canabrava à BR-158.

 

 

Camila Ribeiro 

Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário