15/06/2016 - Empresário é detido com R$ 143 mil e documento falso

15/06/2016 - Empresário é detido com R$ 143 mil e documento falso

Um empresário de Lucas do Rio Verde (354 km de Cuiabá) foi preso em flagrante na tarde de segunda-feira (13), em Cuiabá, após ser pego com cerca de R$ 143 mil em dinheiro. Ele e mais duas pessoas estavam envolvidas em um suposto esquema de lavagem de dinheiro.

Conforme a Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) da Polícia Civil, W.A.D., que atua no ramo de supermercados em Lucas, ainda usava um documento falso.

Por volta das 16 horas, policiais ouviram um grito de “pega ladrão”, em frente à sede do GCCO. Segundo os relatos, o aviso vinha de dentro do estacionamento do Shopping Três Américas, que fica a poucos metros dali.

Já na rua, os policiais encontraram W.A.D. correndo com uma bolsa preta. Ao ser questionado, ele disse que estava sendo vítima de uma tentativa de furto.

Quando os policiais disseram que eram agentes da Polícia Civil e que poderiam ajudá-lo, ele tentou fugir mas foi imobilizado.

Em seguida, dois homens chegaram à rua e disseram ter sido vítimas do empresário.

O trio foi encaminhado para o GCCO, onde prestou esclarecimento.

Com W., foram encontrados R$ 143 mil. E no hotel em que ele estava, havia mais R$ 5.810.

Uma das supostas vítimas do homem disse que não se tratava de um furto e sim de um golpe.

O empresário teria sido convencido a participar do esquema, que consiste em ludibriar pessoas que entram com uma certa quantia em dinheiro, e em troca receberiam dinheiro supostamente desviado da Casa da Moeda.

À dupla, W. repassaria o valor apreendido e, em troca, receberia R$ 1 milhão em moedas oriundas da Casa da Moeda.

O dinheiro, segundo a polícia, seria lavado em seus empreendimentos em Lucas.

"O golpe todo era de R$ 166 mil. Isso tudo é ganância para multiplicar dinheiro de forma fácil", avaliou o delegado do GCCO, Flávio Stringueta.

Ainda na delegacia, W. foi pego em posse de documento falso.

A polícia descobriu que W. já era procurado pela Justiça do Rio de Janeiro, onde teria cometido um homicídio, na década de 90.

Os três vão responder por tentativa de estelionato.

 

 

 

Midia News

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário