15/07/2013 - Riva apresenta projeto de ferrovia MT/PA ao ministro dos Transportes

Os deputados estaduais estarão em Brasília no próximo mês para entregar a proposta ao Governo Federal

 

O projeto elaborado pela Assembleia Legislativa que prevê a ligação ferroviária entre os estados de Mato Grosso e Pará será apresentado no próximo mês ao ministro dos Transportes, César Borges.

 

O deputado estadual José Riva (PSD) solicitou que o senador Jayme Campos (DEM) articule uma reunião dos parlamentares dos dois estados no ministério para que seja detalhada a proposta da ferrovia.

 

“Para abrir uma nova concessão ferroviária é necessária a inclusão do traçado no Plano Nacional Ferroviário, por isso pedimos ao congressista que intermedeie esse encontro em Brasília para apresentarmos o projeto da Assembleia Legislativa. Trabalhamos há dois anos nesta proposta, é um processo burocrático, mas estamos confiantes, pois trata-se de alternativa para o escoamento da produção de Mato Grosso e Pará, resultando em melhorias na logística do país”, argumentou.

 

FERROVIA - O projeto de ligação ferroviária MT/PA foi elaborado no gabinete do deputado Riva, com traçado partindo de Água Boa até Barcarena, no nordeste paraense. Também é analisada a possibilidade da ferrovia seguir do município mato-grossense até Marabá, no sudeste do Pará. A ligação com o nordeste seria viabilizada com a construção de dois ramais, um até o porto de Vila do Conde (Barcarena) e outro até o porto de Espadarte (em Curuçá), que está em projeto de implantação. Lideranças políticas e empresariais de Sorriso solicitaram a inclusão do município na ferrovia por meio de um ramal.

 

Segundo o parlamentar, Mato Grosso tem potencial a ser explorado e com maior investimento em logística, o retorno será imediato. Em função disso, acredita inclusive que a presidente Dilma Rousseff (PT) vai encampar a idéia da ferrovia MT/PA. “Precisamos de logística para chegar aos portos, e assim o estado terá condições de competir com outros entes da federação que estão em condições privilegiadas, como São Paulo e Paraná. Essa competição tão esperada, só será possível se apostarmos na ferrovia MT/PA, que tem conexão com a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), a partir de Água Boa e com a Ferrovia Norte-Sul, que tem ligação através de Marabá (PA). Relativo à Ferronorte, a competitividade de mais de uma linha ferroviária melhoraria o preço do frete em todo o estado. Também devemos enfrentar a discussão sobre a hidrovia”.

 

Riva explica que Mato Grosso não pode ficar preso a um projeto ferroviário elaborado pelo Governo Federal, por isso conduziu o projeto ferroviário. Ao todo, mais de 20 municípios de Mato Grosso e Pará serão beneficiados com o traçado ferroviário de 1,6 mil km de trilhos, melhorando a qualidade de vida de mais de dois milhões de pessoas. 

 

“Com certeza, essa obra é viável e representará a mudança no fluxo de caminhões no Brasil. Todos atualmente descem pelo Sul, não tem estrada que aguente este grande tráfego, e isso está asfixiando a logística do país. Este novo projeto fará com que Mato Grosso tenha um corredor de alto desenvolvimento, independente e eficiente”, pontuou Riva.

 

Os estados intensificam os trabalhos para viabilizar a construção da ferrovia. Em abril deste ano, comitiva mato-grossense liderada por Riva apresentou o projeto ao governador do Pará Simão Jatene (PSDB) e ao presidente da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), Márcio Miranda (DEM). Entusiasmados com a proposta, os paraenses cogitam fazer empréstimo de R$ 1 bilhão junto a instituições financeiras para viabilizar o traçado ferroviário.

 

KLEVERSON SOUZA

Assessoria de Gabinete

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário