14/09/2012 PRODUTORES E MORADORES DO DISTRITO ESTRELA DO ARAGUAIA COMEMORAM A DECISÃO DA JUSTIÇA FEDERAL

Benil morador do distrito Estrela do Araguaia (Posto da Mata) afirmou que as 280 mulheres e adolescentes que deslocaram para Brasília em sete ônibus obtiveram uma vitória, pois o TRF suspendeu a decisão que previa retirada de não índios de demarcação Marãiwatsédé e a BR-158 está liberada desde 16 horas do dia 13/09.

O desembargador Daniel Paes Ribeiro, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), concedeu nesta quinta-feira (13) medida cautelar suspendendo a decisão da Justiça Federal de Mato Grosso que previa a retirada de não índios que moram na área Marãiwatsédé (na gleba Suiá Missú, que fica na região nordeste de Mato Grosso).

Já a Ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil) determinou a criação de um grupo de trabalho para discutir a questão. Há uma reunião marcada para a semana que vem, segundo a assessoria do senador Cidinho Santos (PR). A desintrusão estava prevista para o dia 1° de outubro.

Ontem, em reunião no Palácio do Planalto, parlamentares de Mato Grosso e um grupo de moradores tentaram sensibilizar representantes do governo federal em relação à decisão da Justiça Federal. Moradores também protestaram em frente ao Palácio do Planalto e ao tribunal, em Brasília (DF).

De acordo com o advogado Luiz Alfredo Feresin de Abreu, da Associação dos Produtores Rurais da área Suiá-Missú, em Alto Boa Vista e São Félix do Araguaia, o desembargador entendeu que não seria o momento ideal para o cumprimento da decisão, considerando que há vários recursos em tramitação nos tribunais superiores. O processo em questão está sob segredo de Justiça.

A expectativa dos não índios é que o decreto que demarcou a área indígena seja cancelado. E, segundo o advogado, isso deve acontecer após a comprovação -- por meio da veracidade de um mapa -- de que houve deslocamento de área (na demarcação da terra indígena).  

“O REPÓRTER DO ARAGUAIA” Esteve no distrito de Estrela do Araguaia, mais conhecido de Posto da Mata para saber mais sobre o impasse que vinha acontecendo naquela localidade quanto à desocupação da terra de Suiá Missú Marãiwatsédé e entrevistou produtores rurais, moradores.

Para o Sr. José Inácio morador de Estrela do Araguaia há 14 anos nos informou que quando chegou naquela localidade era só mato foi roçando e plantando, hoje ele tem o seu próprio sustento graças ao seu esforço e está bem formada tem cana-de-açúcar, abacaxi, mandioca, açafrão e outros. E por estes motivos que seu José Inácio se sente injustiçado disse que se for preciso morrer morrerá mais lutando pelo o que é seu.

Já o Sr. José conhecido por José Vaqueiro, diz que viveram momentos de muitas preocupações: “Conheço este lugar desde 1995 e nunca vi índio morar dentro dessa área, os documentos foram fraudados e acusam que somos nós que invadimos, acredito em primeiro lugar em Deus e sei que ele está do nosso lado abençoando toda essa situação, pois merecemos, e as pessoas que estão no poder agradeço pela atitude tomada, a pessoa que tocou a caneta para nossa retirada eu sei que ele tem filho para prestar conta igual nós temos esse assentamento é um dos mais barato no Brasil não temos nem um recurso do governo trabalhamos por conta própria, então muita gente arrisca morrer para não sair de cima do que é seu eu mesmo não tenho para onde ir não tenho condições de comprar outra terra e do jeito da minha situação tem muitos que preferem morrer em cima da terra pra não sair. A FUNAI deveria era olhar para os índios que hoje vive os deixando s morrerem de fome ficam pegando ossos nos açougues para se sustentarem e nós não passamos fome vivemos do nosso trabalho, por isso eu culpo a FUNAI que vive com trairagem com eles. Não somos lixo para sair de dentro de nossas casas e ficar na rua. Se depender de uma vida pra salvar as outras eu prefiro buscar a minha porque aqui nunca teve índio nós estamos trabalhando e morando em cima do que é nosso porque compramos e pagamos”. Concluiu

O Sr. Ocinan afirma: “Vivemos um momento que nem um ser humano gostaria de viver, moro há 15 anos no Posto da Mata, meus filhos foram nascidos e criados, estávamos sendo retirados de forma injusta, sem reconhecimento dos nossos valores, ou seja, não sem valor nenhum diante da justiça, estavam nos tratando como bandidos não matamos ninguém simplesmente trabalhamos, não devemos nada para ninguém, e graças a Deus revertemos o quadro estamos pronto para enfrentar qualquer tipo de justiça, primeiro a justiça de Deus a dos homens já estamos enfrentando só saímos daqui morto e nós não queremos isso, temos filho, família para criar e estamos num país dizem ser democrático, mais não para nós, democrático só para os bandidos que matam e continuam livres cometendo mais assassinatos. Aqui nunca apareceu ninguém dos direitos humanos só vem pessoas para nos prejudicar polícia para nos prender, IBAMA para nos multar, e não é essa vida que nós queremos, não é esse país que pretendemos para nós, votamos porque somos obrigados e porque a constituição diz que somos obrigados a votar, mais eles não retribuem os nossos votos, não temos estradas, saúde, então vivemos como Deus nos protege, com nossas forças e que Deus é o nosso maior protetor esse sim, mais política, justiças são feitas só contra nós, por isso agradecemos desembargador Daniel Paes Ribeiro, somos seres que votamos seres que pagamos impostos, somos todos iguais.

De acordo com produtor rural o Sr. Sebastião Prado: “Estamos tranqüilos e felizes fomos ouvidos pelas autoridades federais até o momento. Agora quanto ao mandato truculento das autoridades federais eu não incentivei o pessoal daqui fazer ato de vandalismo, a média da população hoje é de 7.000(sete mil) pessoas cerca de 800 propriedades, três escolas duas municipais e uma estadual com 800 alunos, 300.000(trezentas mil) cabeças de gado, sete supermercados, dois postos de gasolina, duas distribuidoras de arroz, soja e isso aqui foi feito tudo com recursos próprios, INCRA se o INCRA quiser aprender a fazer uma reforma agrária de fato venham aqui fazer um curso conosco que teremos o prazer de ensinar.
Nós temos uma responsabilidade social com os índios, não só nós mais como todos os brasileiros os irmãos índios é a parte eles não tem culpa disso não quem está levando eles nesse caminho é a FUNAI e o ministério público federal dos índios somos companheiro ajudamos superar em qualquer hora. Se acontecesse de morrer 200 ou 300 pessoas a culpada seria a igreja, só lembrando o baixo Araguaia que se isso acontecesse iria afetar de um modo geral várias cidades, principalmente Alto Boa Vista, onde as propriedades irão desvalorizar casa que vale 100.000,00(cem mil) reais passa a valer 10.000 (dez mil) e não acha comprador. Explica.

Segundo a Vereadora Irene o povo estava muito tenso: “Tem pessoas com trinta anos quarenta anos que moram aqui, eu tenho 21 anos, criei meus filhos agora estou criando meus netos, e me preocupo muito, pois tem milhares de pessoas, muitas crianças nas escolas são três escolas duas municipais e uma do estado, então estamos muitos pensativos se chegar o ponto de desocupar mesmo como vai ser a reação de muitas pessoas, ficaremos até morrer mais sair não iremos sair, que se via no rosto de cada pessoa era lágrima, sofrimento a gente deitava no travesseiro e não conseguia dormir, pois não sabíamos o que poderia acontecer ao amanhecer, mais acima de tudo há um Deus soberano e a bíblia diz que o globo terrestre está nas mãos dele que ele governe tudo e eu sei que ele vai falou com nossas autoridades, porque só nos restava as autoridades olhar por nós. estamos felizes aqui tem trabalhadores não grileiros como dizem por aí trabalhamos com dignidade”. Esclarece.



Com Inf. De Catarine Piccioni/ Ivone Lima e Vanessa Lima
Por: O Repórter do Araguaia e Pontal do Araguaia News

 

Comentários

Data: 15/09/2012

De: Sãofelisense

Assunto: PARABÉNS...

Parabéns a todas as mulheres guerreiras do Posto da Mata e região. Parabenizo a todas na pessoa da Dra. Daniela que as acompanhou e falou bonito na frente daquele povo engomado de Brasilia....É isso ai, mulher quando quer ninguém pode, ainda mais quando soma-se ai a inteligencia....parabéns a todas.

Data: 15/09/2012

De: medo

Assunto: olho grande

e perigozo ter um olho grande , aprosum, irma do gilbertoão, e ta trabalhado segretarea fica sbemdo de tudo. e pirigozo.

Data: 15/09/2012

De: olho vivo

Assunto: Re:olho grande

perigo mesmoé não saber escrever, vai estuda anta....

Data: 16/09/2012

De: medo

Assunto: Re:Re:olho grande

sabi poço inte nao te estudo, estudo quinem oce so sei o perico etenho iteligença,
num pudi estuda mas sei trabai

Data: 16/09/2012

De: Claudia

Assunto: Re:Re:Re:olho grande

Com o seu português fica claro que não teve a oportunidade de estudar, inteligencia todos temos porém vc não esta usando a sua. Esta acusando sem provas e isso pode te render um processo por calunia. Pense nisso?

Data: 16/09/2012

De: Claudia Rezende Abreu

Assunto: Re:olho grande

Medo, A sua desinformação é grande, TE CONVIDO FAZER UMA VISITA NA SEDE DA APROSUM.


Data: 15/09/2012

De: Uma Mulher

Assunto: Agradecimento

Quero parabenizar todas as mulheres, que foram a brasilia,em especial a Dra, Daniela que foi junto com a caravana, nãe arredou o pé do movimento, é como as demais, muito colaborou no resultado obtido. Parabens Dra. a voce é todas mulheres que fizeram parte desse marcha,

Data: 15/09/2012

De: Observador

Assunto: CUIDADO

Apos essa vitoria do povo que mora nessa area de conflito, vamos dar um basta nesse corja que só fizeram piorar a situação do povo que mora nessa area,

Data: 15/09/2012

De: Edivaldo

Assunto: Re:CUIDADO

Todo cuidado é pouco amigo Observador, pois essa truma que vc falou ai,qyue venderam os documentes das terras aos ate então posseiros, lembra das caminhonetes escritas na porta "GRUPO SUIA-MISSU" apos esse vanda de terras o governo passou a olhar os mesmo como grilheiros, e as coisas pioraram, mais graças a ação dessassewnhoras a coisavai tomar outro rumo,

Data: 15/09/2012

De: Rogério

Assunto: Re:Re:CUIDADO

É complicado em Edvaldo, mas vou tentar te explicar...melhor, meu amigo, é só dar um pulinho no Cartório do 1º Oficio de São Félix e você verá que o documento vendido aos produtores rurais no Posto da Mata é verdadeiro e tem procedencia, veio direto do grupo Agip, ex-proprietário das terras da antiga Suia Missu. Pessoas como o senhor que acreditam no que as pessoas escrevem e falam é bom a gente não perder temo, por isso lhe falo, de um pulinho no Cartório e veja o senhor mesmo com seus próprios olhos. A unica matrícula falsa nessa história é da FUNAI...

1 | 2 | 3 >>

Novo comentário