15/10/2015 - Após um ano Defesa Civil libera Sunset.

Um ano após o incêndio no edifício Sunset Boulevard, construído pela Plaenge no bairro Araés em Cuiabá, a Defesa Civil realizou vistorias e liberou o local para moradia no último dia 8 de outubro. Apenas duas famílias retornaram para o local, o restante fez acordo com a empresa e está morando e outros empreendimentos.

A assessoria de imprensa da Palenge informou que a empresa conceito de retrofit realizou alterações no sistema elétrico e instalação de novos dispositivos de segurança. Os halls social e de serviço dos apartamentos também foram refeitos, inclusive com a troca de todas as portas de acesso.

Além disso será feito uma reforma em toda área comum e pintura da fachada. A conclusão destes trabalhos está previsto para o dia 31 de dezembro deste ano.

Depois do incidente, os moradores receberam R$ 3,5 mil mensais da construtora para pagamento de aluguel. As pessoas que não quiseram retornar ao apartamento fizeram um acordo com a empresa ou mudaram para outro empreendimento da construtora.

Entenda o caso

O edifício foi entregue em 2002 e tem 92 apartamentos distribuídos em 23 andares. Há um ano, o Sunset Boulevard teve que ser esvaziado após todos os andares serem invadidos por uma fumaça tóxica. Cerca de 10 apartamentos precisou da ajuda do Corpo de Bombeiros para retirada das pessoas.

Alguns moradores chegaram a ficar internados em hospitais particulares da capital após inalarem a fumaça tóxica e liberados após receberem oxigênio e realizações de exames. Apesar do susto não ouve feridos. 

O resgate dessas vítimas durou quase 10 horas, e envolveu bombeiros, Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), Exército Brasileiro e defesas civil de Cuiabá e de Mato Grosso.Os moradores ficaram alojados em casas de parentes, amigos e também em hotéis da cidade, aguardando a liberação do prédio.

O laudo da Perícia Técnica Oficial do Estado (Politec) constatou que o incêndio começou no 7º andar e teve origem acidental após um curto-circuito. A fumaça se espalhou pela prumada elétrica (local em que se concentram os cabos de energia que vão para os apartamentos) porque o edifício não tinha barreiras corta-fogo nas passagens entre as lajes dos pavimentos.

 Acesse o link abaixo e confira como ficou o local após o incêndio

www.youtube.com/watch?v=CO6zY-jefeI

 

 

Jéssica Moreira, repórter do GD

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário