16/03/2012 - Delegado afastado por tortura teria ameaçado colega ao assumir vaga

O delegado da Polícia Civil Marcos Sampaio, afastado do cargo após determinação do juízo da 3ª Vara da Comarca de Jaciara (144 km de Cuiabá) também é acusado de ter ameaçado um colega delegado que assumiu sua vaga na Delegacia da cidade, quando ele saiu de licença médica, conforme o pedido de prisão protocolizado pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Sampaio foi afastado do cargo por suspeita de usurpação da função pública, tortura, abuso de autoridade, lesões corporais, tentativa de homicídio e homicídio qualificado. Dois agentes prisionais que agiriam com o delegado tiveram as prisões decretadas e estão foragidos. 

As informações do MPE são de que assim que entrou de licença, Marcos Sampaio foi substituído pelo delegado Fernando Vasco, que teria encontrado uma verdadeira devassa na delegacia chefiada pelo colega, incluindo algumas irregularidades envolvendo os veículos da delegacia. 

Quando Fernando iniciou algumas investigações para apurar as possíveis irregularidades, ele teria recebido um telefonema de Marcos Sampaio ameaçando-o. Após a ligação, o delegado procurou o Ministério Público e foi orientado a registrar um boletim de ocorrência e depois acionou a Corregedoria da Polícia Civil. 

“Ele [Fernando] me procurou e disse que recebeu uma ligação do Marcos Sampaio que dizia: ‘o mundo da muitas voltas e o que é seu esta guardado’”, explicou o promotor de Justiça Reinaldo Vessani, que também afirmou ter tido sua residência sondada por pessoas suspeitas.

O MPE acredita que a informação de que vinha sendo investigado tenha vazado e, por isso, Sampaio acabou entrando de licença médica, logo quando foi intimado para participar de uma audiência de instrução.

Ao ser acionada pelo delegado que recebeu ameaça do colega, a Corregedoria da Polícia Civil afirmou já ter conhecimento do caso e estar apurando, porém não deve se manifestar pois o procedimento administrativo tramita em segredo de justiça.

 

Da Redação - Julia Munhoz

Foto: diaadianews

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário