16/03/2016 - Aloizio Mercadante nega ter oferecido ajuda financeira a Delcídio

16/03/2016 - Aloizio Mercadante nega ter oferecido ajuda financeira a Delcídio

Em coletiva de imprensa nesta terça-feira (15) em Brasília o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, negou ter oferecido ajuda financeira, política e jurídica ao senador Delcídio do Amaral em troca do seu silêncio.

Mercadante disse que tem a transcrição completa da conversa apresentada por Delcídio do Amaral à Procuradoria Geral da República que sugere que o ministro tenha tentado evitar a delação premiada do senador.

Para o ministro, os trechos que não foram apresentados por Delcídio são importantes para mostrar que a conversa foi apenas uma tese jurídica sobre o processo de cassação no Senado e uma demonstração de solidariedade em função dos ataques que Delcídio e sua família estavam sofrendo.

— Achei indigna a campanha que fizeram contra a família dele, numa situação pessoal muito difícil. Do ponto de vista pessoal era preciso ter solidariedade. No transcorrer do diálogo ele [o assessor do senador] vai tentando me incluir na defesa jurídica dele. Eu sugeri apenas que ele conversasse com consultores jurídicos do Senado, em relação ao processo específico [cassação no Senado] eu disse que não iria me meter na delação dele.

Acusação

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) acusou, em seu acordo de delação premiada, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, de lhe oferecer ajuda financeira, política e jurídica — para que deixasse a prisão e escapasse do processo de cassação de mandato no Senado — em troca de seu silêncio.

Nesta terça-feira (15), a delação de Delcídio do Amaral foi validada pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki. O conteúdo foi divulgado na íntegra e, segundo o advogado José Eduardo Marzagão, assessor parlamentar de Delcídio, Mercadante teria oferecido dinheiro e lobby no STF.

As promessas teriam sido feitas a Marzagão, que trabalha com o senador há 13 anos, já que Delcídio já estava sob a custódia da polícia. O conteúdo foi gravado e entregue à PGR (Procuradoria-Geral da República). Marzagão deu detalhes das reuniões que teve com Mercadante.

Segundo a delação, "Aloizio Mercadante, em tais oportunidades, disse a Eduardo Marzagão para o depoente [Delcídio] ter calma e avaliar muito bem a conduta a tomar, diante da complexidade do momento politico".

De acordo com o assessor, "a mensagem de Aloizio Mercadante, a bem da verdade, era no sentido do depoente não procurar o Ministério Público Federal para, assim, ser viabilizado o aprofundamento das investigações da Lava Jato".

Mercadante teria prometido procurar o presidente do Senado, Renan Calheiros, para encontrar uma forma de reverter a decisão do Senado de ratificar a ordem de prisão de Delcídio expedida pelo Supremo. Em nota, Renan Calheiros negou ter se encontrado com Mercadante para intervir em favor de Delcídio. 

 

 

R7

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário