16/06/2014 - Políticos procuram a Umbanda para vencer eleição e fugir de escândalos

Com a proximidade das eleições, aumenta a procura dos políticos por auxílio espiritual em terreiros de Umbanda. Nesta época, virtuais candidatos pedem proteção, conselhos para ganhar a disputa e, em tempos de Operação Ararath, buscam ajuda para escapar dos escândalos de corrupção. Um dos babalorixás mais requisitados é Jojô de Xangô, que atende no bairro Cristo Rei, em Várzea Grande.

 

Embora não cite nomes para evitar possíveis constrangimentos, Jojô conta que entre seus filhos de santo ou afilhados espirituais estão prefeitos, vereadores em Cuiabá e Várzea Grande, deputados estaduais, secretários de Estado e políticos que atuam em Brasília há muitos anos. “Eles vêm em busca de luz, são atendidos pelos orixás ou guias e voltam para agradecer”, disse.

 

  Jojô também é requisitado para interceder junto aos orixás, exus, pombas giras, caboclos e pretos velhos para retirar obstáculos do caminho dos políticos, incluindo pessoas que impedem que as ambições sejam concretizadas. Entretanto, faz questão de ressaltar que trabalha com a chamada linha branca e procura fazer somente o bem.

 

O babalorixá também relata que políticos em evidência costumam requisitar  trabalhos espirituais para manter o prestigio que conquistaram, além de não perder as disputas eleitorais. Alguns se contentam com coisas menores, chegando ao ponto de buscar auxílio espiritual para aprovar projetos de lei de própria autoria ou até mesmo liberar recursos de emendas.

 

Sobre a discrição, Jojô acredita que um dos motivos que leva os políticos a esconderem a ligação religiosa com a Umbanda é o preconceito que ainda existe em relação às religiões de matriz africana.  Além disso, relata que muitos têm  receio de perder votos  dos evangélicos e de setores mais conservadores da sociedade.   

 

Apesar de dizer que ajudou inúmeros políticos a vencer eleições, Jojô é prova viva que o ditado popular “santo de casa não faz milagre” é verdadeiro. Isso porque, em 2012, com o slogan A Bola da Vez, foi candidato a vereador pelo PP e conquistou apenas 287 votos. “Meus guias usaram isso para mostrar que meu lugar não é na Câmara, mas no terreiro, fazendo caridade e ajudando quem precisa”, concluiu. 

 

 

Jacques Gosch

Comentários

Data: 17/06/2014

De: MALLSO

Assunto: POLITICA

PAI DIVINÃO -DE SAÕ FÉLIX DO ARAGUAIA SEMPRE DEBAIXO DOS PÉ DE MANGA DA PREFEITURA E LA QUE OS TRABALHOU SÃO REALIZADO..... KKKK
QUEM ME FALOU FOI A NEREIDE .....

Novo comentário