16/07/2014 - Cada detento custa mais de 3 salários mínimos por mês ao governo de MT

Com direito a três refeições diárias, cada detento que cumpre pena nas unidades prisionais de Mato Grosso custa entre R$ 11,41 e R$ 16,50 por dia aos cofres públicos. Conforme a Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), o estado gasta R$ 44,4 milhões por ano para alimentar os 9.600 reeducandos que cumprem pena nas 63 cadeias e presídios.

No café da manhã, os reeducandos tomam café com leite e pão com manteiga. Já no almoço e jantar, o cardápio é composto por carne, guarnição [nome dado ao segundo prato mais importante], arroz e feijão. Não existe padronização de cardápio para todas as unidades, mas em todos os locais os presos têm que receber as refeições contendo esses pratos.

As refeições são preparadas e fornecidas por empresas terceirizadas contratadas por meio de licitação para a prestação do serviço. No interior do estado, o custo da refeição é quase R$ 5 mais caro que em Cuiabá. Na Cadeia Pública de Peixoto de Azevedo, a 692 km da capital, por exemplo, a despesa diária de cada reeducando é de R$ 16,50, enquanto em Cuiabá esse custo é de R$ 11,41

Além de Peixoto de Azevedo, segundo a Sejudh, tem um custo mais elevado a alimentação de presos que cumprem pena em Vila Bela da Santíssima Trindade, São Felix do Araguaia, Juara, Jauru, Nova Xavantina, Rio Branco, Aripuanã, Colniza, Paranatinga, Peixoto do Azevedo, Vera e Colíder.

Custo elevado

Incluindo outras despesas, cada reeducando causa um ônus de R$ 2.450 ao mês, o equivalente a mais de três salários mínimos. O valor é acima do salário pago aos agentes prisionais que atuam nas unidades do estado. O salário-base de umo agente prisional é de R$ 1.998.

Mão da massa

Há 10 anos, uma cozinha industrial foi instalada na Penitenciária Central do Estado (PCE), maior unidade prisional do estado, e os presos começaram a preparar a própria comida. Na época, o governo informou que havia tido redução nos gastos depois desse trabalho. De R$ 11 por dia, tinha caído para R$ 4. Porém, não foi dado continuidade ao projeto e, atualmente, de acordo com a Sejudh, nenhuma cadeia ou presídio do estado possui cozinha.

 

G1 MT

Pollyana Araújo

Comentários

Data: 16/07/2014

De: joao

Assunto: praia

"Pão & circo"Prefeito banca R$ 360 mil em showsDA REDAÇÃO




O prefeito José Antônio de Almeida: shows e milhares de reais

A Copa do Mundo acabou para o Brasil. Mas o "pão & circo" continua em várias cidades de Mato Grosso. É o caso de São Félix do Araguaia, cujo prefeito José Antônio de Almeida (PPS) irá gastar R$ 360 mil do dinheiro do contribuinte para bancar shows.

No caso, irão se apresentar, o cantor Leonardo; a banda Forró Boys; o grupo Tradição e o cantor Raffael Machado. As contratações foram feitas pela empresa João Batista Lopes ME, com inexigibilidade de licitação

Data: 16/07/2014

De: cidadã

Assunto: trabalho

por isso deveriam realizar trabalhos monitorados para manter seus gastos enquanto estão presos, como capinar lotes, varrer ruas, cuidar de hortas comunitárias ..etc

Novo comentário